Luciano Salles é quadrinista, ilustrador freelancer da Folha de S.Paulo e 1/3 da Produtora Cultural Memento 832.
Autor das histórias em quadrinhos EUDAIMONIA (em pré-venda no Catarse), Limiar: Dark Matter (2015, Publicação Independente), L'Amour: 12 oz (2014, MINO) indicada ao 27º HQMIX, O Quarto Vivente (2013, Publicação Independente) indicada ao 26º HQMIX e da HQzine Luzcia, a Dona do Boteco (2012, Publicação Independente), indicada ao 27º HQMIX.

25.9.17

Análise: 15 dias com meu Catarse no ar


Hoje, dia 25/09, faz 15 (quinze) dias que começou minha campanha de financiamento coletivo no Catarse, para imprimir meu novo quadrinho. Durante esses dias pude mensurar alguns números e confirmar outros dados que já havia percebido mas não constatado. Ao final da campanha vou fazer novamente uma outra postagem arrematando os números e corrigindo algumas defasagens que as curvas podem apresentar. Ressalto que aqui me refiro ao financiamento coletivo.

Vou enumerar por itens para facilitar a leitura:

1. A plataforma do Catarse é uma excelente ferramenta se você pretende, e não sabe como, mensurar seu provável publico leitor. É claro que isso deve ser entendido como uma amostragem pois muitos leitores preferem não apoiar uma campanha de financiamento coletivo mas comprar o material já lançado, pronto, impresso e sem promessas de entrega. 

2. Faz algum tempo que queria avaliar (através das minhas HQ), o número de leitores que um quadrinho independente tem de poder de captar. A resposta é que esse número é muito baixo e posso parametrizar isso no próximo item.

Faço aqui um outro adendo: o de não inclui trabalhos independentes com tiras publicadas na internet e depois compiladas em forma de um álbum. Acredito que as tiras tem sempre um grande público até por uma carga histórica.

3. *ITEM EDITADO: Através de dois comentários nesta postagem, edito e reavalio o número de visitantes versus o número de apoiadores. O amigo Douglas Braz e o camarada Rafael Olivato afirmaram que eles mesmos, apoiadores da campanha, entram diversas vezes para ver a quantas anda o financiamento. Esse fato contabiliza mais uma visita sendo que eles já apoiaram. Imagino que muitos podem fazer isso. Com certeza, meu irmão Murilo Nunes, deve fazer a mesma prática 15 vezes por dia.

Assim, esse índice do número percentual de visitantes apoiadores não condiz com a realidade. Logo abaixo, em itálico, deixo o texto original do item 3. Agradeço ao Xexéu e ao Rafael Olivato por me alertarem sobre esse tal índice!


TEXTO ANTES DA EDITAÇÃO: O índice percentual de visitantes apoiadores – que vou chamar pela sigla PVA – é incrivelmente baixo. Essa imagem que inseri é um print que fiz ontem (domingo) dos números do PVA do meu projeto. O índice de penetração de 6,55% é algo extremamente pequeno. Não tenho como saber o índice final desse PVA entretanto vou replicar aqui no blog quando o tiver.
Print do índice de PVA

Para ser extremamente claro: dos 2.047 visitantes que a página da campanha recebeu, apenas 134 apoiaram o projeto, o que dá um percentual de 6,55%!






4. Qual será o público que eu tenho? Até onde meus quadrinhos chegaram ou ainda chegam? Minha distribuição está sendo suficiente e eficiente? Eu consigo competir com a distribuição de uma editora? Sempre penso nessas perguntas e esse financiamento, até o momento, já me deu algumas respostas e me fez rever toda logística de distribuição para EUDAIMONIA
Print dos apoiadores do Catarse de EUDAIMONIA por estado do Brasil

Não tenho problemas em abrir qualquer número aqui, seja você um(a) quadrinista, leitor(a), editor(a), organizador(a) de um evento ou o que quer que faça. Inclusive, acho de bom tom abrir esses números pois é um dado que nós quadrinistas nunca sabemos exprimir.

Olhando a tabela ao lado, é nítido que meu público leitor é basicamente do estado de São Paulo, mesmo levando em consideração a concentração e densidade demográfica do estado. Você pode conferir a discrepância entre os percentuais.



5. Algo que se destacou: o público na internet é claramente reativo. Simples assim. Explico: mesmo eu publicando no meu blog que estou com um financiamento coletivo de nada adiantará se eu não informar as pessoas através das redes sociais. Mensagens diretas, seja por qual rede social que puder imaginar, também garante com uma probabilidade maior, um novo apoiador. E é por isso que uso o termo "reativo". E sobre esse ponto, Paulo Ramos, um grande estudioso do quadrinhos nacional, escreveu sobre.

Disponibilizo aqui o link e a imagem de uma postagem que o Paulo Ramos publicou no seu Facebook exatamente sobre isso. Leia o post e os comentários: 
Imagem retirada do perfil público do Facebook de Paulo Ramos























6. Estar com uma campanha de financiamento coletivo é ter que divulgar todos os dias, de forma não invasiva, sem "soar" como spam e principalmente, sem ser chato. Como fazer isso? Sinceramente não sei. Estou aprendendo e se de alguma forma eu fui invasivo e chato, peço desculpas.

7. Aproveito o post para deixar o link do Catarse do meu novo quadrinho EUDAIMONIA: https://www.catarse.me/eudaimonia
Conheça o projeto, apoie e compartilhe com seus amigos!

Muito obrigado pela leitura e por acompanhar o blog. Seu comentário é sempre muito bem vindo.

Um abraço.

Luciano Salles.