Luciano Salles é quadrinista, ilustrador da Folha de S.Paulo e 1/3 da Produtora Cultural e Editora Memento 832.
Autor da histórias em quadrinhos EUDAIMONIA (2017, Publicação independente/Catarse), Limiar: Dark Matter (2015, Publicação independente), L’Amour: 12 oz (2014, Editora MINO), O Quarto Vivente (2013, Publicação independente) e da HQzine Luzcia, a Dona do Boteco (2012, Publicação independente).
Contato: lucianosalles@dimensaolimbo.com

29.10.18

As ilustrações de outubro para a Folha de S.Paulo

Ilustrações para a coluna do ator Daniel Furlan, publicada todas as segundas-feiras no caderno Ilustrada, na Folha de S.Paulo
Olá, tudo bem?

Fazem três meses que a coluna do ator Daniel Furlan estreiou na Folha de S.Paulo. Fui convidado pela edição do jornal para formar o time com ele. Colunista e ilustrador.

Desde o primeiro texto tenho tentado, dê certa forma, ilustrar com total liberdade porém atento a cadência da escrita e sempre ficando dentro do contexto. É um texto fluido, quase que um ensaio.

Segue o link para todos os textos:

– "Pedro no auge" https://goo.gl/jCMes6
– "O doce sabor da glória total" https://goo.gl/tkSuu8
– "História de amor" https://goo.gl/di9iJK
– "História de amor parecida" https://goo.gl/nKUPdm
– "As propriedade cicatrizantes do abacaxi" https://goo.gl/hXDeM5

Para o próximo mês, tentarei ousar um pouco quanto ao meu traço. A possibilidade de ilustrar toda semana apresenta essa margem para o trabalho e para isso, seria legal seu feedback aqui nos comentários.

Grande abraço.

Luciano Salles.

22.10.18

Resenha de EUDAIMONIA pelo fantástico "Fora do Plástico".

Imagem que contém resenha no instagram do Fora do Plástico
Olá. tudo bem?

Na semana passada saiu uma resenha da minha última publicação em quadrinhos pelo Fora do Plástico, uma conta do Instagram que é fantástica e basicamente fala sobre HQ. É muito legal seguir a conta e perceber como eles sabem utilizar extremamente bem a plataforma.

Conheci a Mariana e o Pedro, casal responsável pela página, no FIQ 2018. Não lembro se concedi alguma entrevista para eles que são extremamente simpáticos, interagem muito bem e de forma inteligente, com os autores.

Segue a resenha e aqui está link para você seguir o Fora do Plástico no Instagram. Com certeza vale por toda publicação que fazem!

Deixo aqui meu abraço e, logo abaixo, o link para adquirir seu exemplar de EUDAIMONIA!

Luciano Salles.

Clique na imagem para ser direcionado para minha conta na Amazon. A HQ será enviada com um autografo e dedicatória.

Resenha de EUDAIMONIA pelo Fora do Plástico
Texto por Mariana Viana.

"Eudaimonia não é um quadrinho fácil. Nada ali está explicado ou entregue de forma fácil e evidente. Na verdade, foi somente na segunda leitura que captamos alguns detalhes e nuances que Luciano Salles insere em meio a suas hachuras e traços finos em nanquim. Aqui, acompanhamos um matador de aluguel vestido de leopardo (que parece um tanto tolo) que tem uma segunda chance para efetivar sua caçada. Para isso, ele conta com a ajuda de Luzcia, a rabugenta dona de um boteco.

Com falar característico, olhar duro, e crises de artrite, Luzcia é um personagem que gera empatia no primeiro olhar (mesmo já tendo sido apresentada em um dos primeiros trabalhos do autor). O quadrinista traz para a protagonista uma força visceral feminina, que transmite a garra de uma sobrevivente, custe o que custar. Luzcia parece não conhecer o medo.

Embora a HQ não entregue muita profundidade na construção dos personagens, toda a narrativa de Eudaimonia flui facilmente, embalada pela arte única de Luciano Salles e pelo tom de suspense. É uma pena que o quadrinho seja tão curto. Terminamos com a sensação de que poderíamos ver aquela história se desenrolar por várias páginas, afinal, ela capta o leitor, deixando-o imerso no universo nonsense ali apresentado.

Você pode terminar este gibi com um ponto de interrogação ou pode se sentir inebriado pela experiência inusitada que o quadrinho proporciona, já buscando retornar à primeira página. Na verdade, não há como prever a reação de um leitor a Eudaimonia. Talvez fosse exatamente esse o objetivo do autor: despertar um resultado imprevisível em quem fecha as últimas páginas do gibi."




15.10.18

Superman 80 anos – desenho feito exclusivamente para a CCXP 2018. RESERVE seu print!

Desenho em homenagem aos 80 anos do Superman,
feito exclusivamente para a CCXP 2018.
Olá, tudo bem?

Esse ano não lançarei nenhuma nova HQ na CCXP mas, para ter alguma novidade bem legal, preparei essa homenagem aos 80 anos do Superman. Farei alguns prints da arte e também levarei o desenho original, para quem se interessa e coleciona.

Superman é um super-herói criado por Joe Shuster e Jerry Siegel e teve sua primeira aparição na revista Action Comics nº1, em 1938, nos Estados Unidos.

A ideia do desenho veio daqueles desfiles que vemos em filmes norte-americanos, como muitos papéis picados caindo dos prédios, por cima de quem assiste a parada. É como seu estivesse olhando de binóculos e visse o Superman pronto para alçar voo.

Fiz as cores e, como sempre, contei com o auxílio do craque, Marcelo Maiolo, que me ajudou nos detalhes com os contrastes. Dessa vez ele foi mais do que preciso na ajuda e em poucas palavras me mostrou o que não estava legal. Muito obrigado, Maiolo!

As cópias tamanho A3, estarão a venda por R$25,00 na minha MESA H01 da Comic Com Experience, que acontece de 6 a 9 de dezembro. É claro que meu trabalho principal são os quadrinhos e que estarão em maior quantidade na mesa mas sempre preparo desenhos inéditos para o festival. Ainda farei outro e logo divulgo aqui 😉🦇🃟

IMPORTANTE! Não sei quantas cópias farei desse desenho mas se for para a CCXP e tiver interesse em deixar reservado um exemplar do print, é só solicitar através do e-mail lucianosalles@me.com, com o título: Quero um print dos 80 anos do Superman. E não esqueça de marcar o número da minha mesa para buscar seu pôster reservado.

Fico por aqui. Deixe seu comentário, dúvida, crítica ou o que mais quiser. Você sempre será respondido.

Grande abraço!

Luciano Salles.

Lápis final por Luciano Salles
Lápis arte-finalizado. Por Luciano Salles
























Sempre no sketch podrera de 60 segundos
Desde o início a ideia era por esse ângulo






10.10.18

MESA H01: essa é a minha mesa na Comic Com Experience 2018

Olá, tudo bem?

Ontem foram divulgadas as mesas que cada artista ocupará na CCXP 2018. São mais de 540 artistas do mundo inteiro, alocados no Artists' Alley e que concorreram, através de portfólios, as tão disputadas mesas do evento.

Além das mesas, também foi divulgado o perfil de cada artista no site da CCXP e que estará no Artists' Alley. Este é meu link: https://www.ccxp.com.br/artists-alley/1109

Esse ano estarei na MESA H01 e, na última semana de novembro, faço um novo post com o que levarei para a convenção. Além de concorrer a mesa, é importantíssimo ressaltar que a mesma conta com o apoio cultural da World Game, da Mondrian Ambiente e da Portal Informática.

Elio Lio da World Game
Entenda como apoio cultural o fato de que empresas de Araraquara, cidade onde moro, foram as responsáveis por quitar o valor referente ao uso da mesa durante todos os dias do evento. Desta forma, sou muito grato aos empresários Elio Lio, responsável pela World Game e a Teresa, que responde pela Mondrian AmbienteSão pessoas da iniciativa privada que sempre apoiam a arte, cultura e o esporte na cidade de Araraquara. Deixo aqui meu sincero agradecimento pela oportunidade concedida. Também conto com o apoio da Portal Informática, dos camaradas Marcelo Piva e o Cris.


Teresa Magnani da Mondrian Ambiente
Entretanto a batalha é árdua e ainda tenho as despesas com hotel, transporte (ônibus intermunicipal, UBER e metrô) e alimentação, que ainda dependem de apoio cultural.

Desde 2014, ano da primeira Comic Con Experience, recorro a esses patrocínios para ir ao evento e esse tem sido o ano onde conseguir apoio cultural tem sido mais difícil. Geralmente, "nos outubros" anteriores, já estava com tudo certo e organizado financeiramente para o evento. Enfim, ainda estou na luta!

Para finalizar, lembre-se de anotar a MESA H01 no seu controle de "mesas para visitar". Nos vemos em dezembro na maior Comic Con das Américas.

Um abraço.

Luciano Salles.

8.10.18

Entrevista (de fôlego) para o Tapioca Mecânica e entrevista em vídeo para o Chapéu do Presto

Olá, tudo bem?

Segue entrevista em vídeo para o Chapéu do Presto, que aconteceu no Festival de Quadrinhos de Limeira e, na sequência, entrevista que concedi ao site Tapioca Mecânica, no FIQ 2018.

Confira e se quiser deixar alguma pergunta ou consideração, fique a vontade e use os comentários para isso.

Um abraço.

Luciano Salles.



Entrevista para Tapioca Entrevista – LUCIANO SALLES FIQ 2018
por Gabriel Fraga | 12 /09/ 2018 | Destaques, Quadrinhos

Na última semana de maio de 2018 ocorreu mais uma edição do tradicional Festival Internacional de Quadrinhos (FIQ) em Belo Horizonte e o Tapioca Mecânica esteve lá. Foram feitas várias e interessantes entrevistas e que depois de um trabalhinho de transcrição, agora apresentaremos nessa coluna de quarta-feira.
A primeira entrevista foi com o quadrinista Luciano Salles. Muito gentil e solícito com seu tempo, Luciano nos cedeu um dos melhores bate-papos que já fizemos, além de ser muito esclarecedora sobre seus quadrinhos e seu jeito de encarar arte.

TAPIOCA MECÂNICA: No Quarto Vivente você fala do período em que viveu em Araraquara, interior de São Paulo. Parece ter sido um momento muito importante para sua formação.
LUCIANO SALLES: Eu me mudei pra Araraquara bem pequeno, com dez anos. Caí numa ruela sem saída, pequena e foi tudo que eu poderia querer: punk rock, skate e fanzine, desenhos. Tudo que eu gostava de fazer. E foi bem formador. Nessa época zine não era só desenho, não era só história em quadrinho. Tinha matéria sobre a banda de rock da cidade e aí nós mandávamos pra Recife e eles devolviam com outras matérias e fitas cassetes das bandas de lá. E eu já sabia que era isso que eu queria fazer. Isso foi em 1985…

TM: E fazia tudo isso aos dez anos, fanzine, punk rock e skate? (risos).
SALLES: Pior que sim. Eu entrei nesse mundo com dez anos e fui até os vinte e três. Andei bastante de skate, mexi muito com música, ainda mexo um pouquinho.

TM: Tocando?
SALLES: Não toco mais nada. Meu violão tá com meu pai, minha guitarra tá indo pro meu irmão, meu trompete tá parado. Às vezes faço alguma trilha pra algum espetáculo de balé ou curta-metragem. Mas isso aí ficou incrustrado em mim.
Como eu falei, em 1985, era outro mundo, cara. Você tinha que fazer uma faculdade e seguir a carreira, por isso que sempre estudei muito, sempre gostei de estudar, estudei pra caramba, sempre fui muito CDF, CDF mesmo, nem tinha nerd no Brasil ainda e foi isso. O quadrinho veio bem depois, com 37 anos.


2.10.18

Como foi o Festival de Quadrinhos de Limeira?

Festival de Quadrinhos de Limeira com Pedro Mauro
em primeiro plano, Sam Hart, Rafael De Latorre e
Marcelo Maiolo ao fundo. Foto por Luciano Salles.
 
Olá, tudo bem?

Fui um dos convidados para o 3º Festival de Quadrinhos de Limeira, uma cidade de tamanho médio e localizada no interior do estado de SP.

A cidade fica, de certa forma, próxima de São Paulo Campinas, dois grande polos. Enfim, Limeira é uma cidade muito bem localizada para acontecer um evento de quadrinhos no interior do estado.

Ao chegar na Faculdade de Administração e Artes de Limeira, local que acolheu tão bem o Festival, a sensação térmica e a poeira da estiagem compuseram uma perfeita e natural ambientação em homenagem aos 70 anos do TEX, tema do evento.

Acho que vale ressaltar que o Festival passou a ser incorporado nas datas comemorativas da Prefeitura, o que de certa forma, facilita os próximos a acontecerem com apoios e investimentos tão necessários.

Beco dos artistas ou Artists' Alley.
Foto por Luciano Salles.
O evento foi muito bem organizado. Os artistas foram acolhidos com uma excelente hospedagem no National Inn, com o ônibus nos transportando
do hotel para o evento (a cordialidade e educação do motorista do ônibus – que agora não consigo lembrar o nome – é algo que merece ser destacado). 

O Festival, ainda em sua terceira edição, já não engatinha mais. Anda com perna fortes, com passos conscientes e certeiros. O beco dos artistas, ou Artists' Alley, foi amplo, muito bem organizado e para minha surpresa, com um excelente publico de diversas cidades e também de outros estados. Fiquei extremamente feliz em ter sido lembrado e convidado pelo organizador geral de todo evento, Renato Frigo

Falando em nomes, fui vizinho de mesa do grande Sam Hart e família, tomei um longo café da manhã com o lendário Marcatti, junto do grande Pedro Mauro e do Carlos Estefan.
Os fantásticos oficiais selos do TEX!

Não posso deixar de citar e agradecer o carinho do meu amigo Marcelo Maiolo, que comprou um almoço pra mim, levou até a minha mesa e me salvou de perder alguns quilos debaixo de todo aquele calor absurdo que fazia 😅

Em suma, o Festival de Quadrinhos de Limeira, não é um evento pequeno. Atende as expectativas do pessoal do interior e também da capital que estava ali também em peso.

Fique atento para que em 2019 você possa participar! Com certeza, se estiver vivo até lá, participarei do evento para prestigiar todo o trabalho do amigo, herói e organizador, Renato Frigo.

Deixo aqui meu sincero agradecimento ao Frigo pelo convite e por toda cordialidade em me receber tão bem.

Fique a vontade para deixar seus comentários.
Beco dos artistas ou Artists' Alley.
Foto por Luciano Salles.

Todos serão respondidos.

Grande abraço!

Luciano Salles.