Luciano Salles é quadrinista, ilustrador freelancer da Folha de S.Paulo e 1/3 da Produtora Cultural Memento 832.
Autor das histórias em quadrinhos EUDAIMONIA (em pré-venda no Catarse), Limiar: Dark Matter (2015, Publicação Independente), L'Amour: 12 oz (2014, MINO) indicada ao 27º HQMIX, O Quarto Vivente (2013, Publicação Independente) indicada ao 26º HQMIX e da HQzine Luzcia, a Dona do Boteco (2012, Publicação Independente), indicada ao 27º HQMIX.

31.7.17

Dos altos valores para participar de um evento de quadrinhos: por onde começar?

Patrocinadores para minha participação na CCXP 2017
Olá, tudo bem?

Como percebeu, abri esse novo post com um questionamento: ir para um evento de quadrinhos é muito caro. Por onde começar?

O princípio da resposta é que escolho "a dedo" o evento que pode ser melhor – dentre inúmeros tópicos – para todo o processo que envolve uma participação em um festival. E esses tópicos ou variáveis, perfazem uma boa lista de itens que analiso pontuando objetivamente e subjetivamente, se realmente ir para determinado evento vale todo o investimento e tempo despendido.

Um adendo importante: se tivesse condição de ir para todo festival de quadrinhos que tenho vontade, com certeza iria! Qualquer que seja o evento é mais do que válido para o trabalho de um quadrinista. Tenho muita vontade de ir para aos eventos que nunca fui como a Santos Comic Expo, Comiccon RS, CCXP Tour e sempre tentar voltar à Bienal de quadrinhos de Curitiba, UGRA Fest, Fest Comix, Festival Internacional de Quadrinhos – FIQ entre tantos outros.

Vou fazer uma rápida lista de despesas para levantar os custos da minha ida para a CCXP e inserir algum breve comentário sobre cada item. Vale lembrar que vou usar a Comic Con Experience como exemplo pois é o próximo que participarei. Se estivesse por participar do FIQ, os valores seriam similares ou até maiores.

Custos fixos.

R$72,35 (passagem de Araraquara para São Paulo).
R$75,20 (passagem de São Paulo para Araraquara).
R$800,00 (MESA com data de vencimento do boleto¹ em 27/06/2017).
¹ O detalhe aqui é que para contratar a MESA implica que sua despesa para ir ao evento começa praticamente há 5 meses antes mesmo dele acontecer.
R$1.675,80 (hospedagem já contratada²).
² A hospedagem é um item subjetivo pois você pode morar em São Paulo, pode escolher ficar na casa de um conhecido(a), parente, hostel ou hotel. Apesar de eu ter um irmão que mora em São Paulo e um amigo que sempre me oferece estadia em sua casa, prefiro fazer reserva em um hotel próximo ao evento por vários motivos.
R$400,00 (valor estimado de deslocamento do hotel para o evento³).
³ Como faço a opção de ficar em hotéis credenciados ao evento, sempre existe alguma empresa que faz o transporte de leva e traz. Fico atento a este detalhe pois contratar este serviço implica em um custo logístico muito menor do que depender de táxi ou UBER, sem contar com a comodidade de não ter que esperar em enormes filas para pegar um táxi ao final de cada dia. Esse valor estimado que estipulei é quase certo pois sempre uso deste transporte na CCXP.
R$120,00 (UBER ou táxi⁴).
⁴ Contabilizo 3 (três) despesas "extraordinárias" no valor de R$40,00 para o imprevisto de perder alguma ida ou volta com o transporte contratado.
R$350,00 (diárias de alimentação⁵).
⁵ Chego para o evento no dia 05/12 e volto somente no dia 11/12, ou seja, fico 8 (oito) dias precisando me alimentar. Para isso, determino 7 (sete) diárias de alimentação no valor de R$50,00 por dia. Com esse valor consigo comprar frutas, pães, frios, sucos e assim preparo alguns lanches para levar e consumir no evento. Além do fato de procurar sempre almoçar "de verdade" para ficar bem em tantos dias de trabalho intenso.

TOTAL: R$3.493,35 (em despesas nas linhas de custos fixos).

CCXP 2016
Você tem a liberdade em poder pensar que estou sendo extremamente detalhista ou até mesmo procurando conforto demais em minha estadia durante a CCXP. Mas para aguentar legal todos os dias e atender muito bem a todos que passarem pela minha mesa é preciso estar bem alimentado, de bom humor, descansado com algumas boas horas de sono e, principalmente (para mim), ter a tranquilidade em saber que muitas  dessas despesas já estarão honradas pelos apoiadores culturais. Dessa maneira, as vendas do eventos entrarão como fluxo de caixa para quitar a impressão da minha nova HQ e, como lucro para as minhas revistas que já se pagaram. Ainda estou com 88,55% das despesas acima patrocinadas mas pretendo chegar aos 100%.

Esses apoiadores culturais são pessoas que, através de suas marcas, aceitam vincular suas empresas a minha imagem como quadrinistas e ilustrador, além de aceitarem minhas contrapartidas. Essa é a única forma de eu poder ir para um evento.

Para a Comic Con Experience 2017, a Escola Pueri Domus Araraquara é minha grande apoiadora. A SPLINE Multimídia, é a mais nova empresa que aceitou vincular sua marca e suporte. A World Game é minha terceira grande parceira cultural e isso desde a primeira CCXP!

Entretanto, fica difícil que essas mesmas empresas apoiem minha ida para o próximo FIQ, que acontecerá em maio de 2018. A crise está para todos.

Procurando apoiadores.

Eu não sou um artista nato. Digo no aspecto de que não fiz só isso da minha vida. Tenho uma longa história com a engenharia civil, engenharia de segurança do trabalho e como funcionário e gestor em instituições financeiras. Aliás, muito mais tempo fazendo coisas assim do que como quadrinista e ilustrador e de certa forma, tudo isso me ajuda hoje a conseguir os apoiadores culturais.

Por muito tempo fui gerente jurídico no Banco Santander e assim conheci muitas empresa, de grande e pequeno porte, lojas e todo tipo de estabelecimento comercial. E, enquanto gerente, você acaba desenvolvendo um vínculo de amizade e parceria com alguns donos de empreendimentos. Muito destes apoios que consigo vem deste percurso que vivenciei.

Mas é claro que sempre apresento uma proposta formal, em envelope lacrado com uma apresentação legal, explicando do que se trata o evento, sua relevância, o que pretendo, minhas contrapartidas, tudo de forma extremamente clara e objetiva.

Espero que, se chegou até aqui, essa leitura tenha sido útil de alguma forma. Fique a vontade para deixar seus comentários e ponderações.

Um abraço!

Luciano Salles.