Posts

Olá, tudo bem?
O tão falado caso “amoroso” e policial, Najila e Neymar, não tem nada a ver com o Robert Smith, icônico vocalista da banda inglesa The Cure. Apenas calhou de ter seu nome junto aos outros no título da postagem.
Semanalmente colaboro junto do psicanalista, escritor e autor da série Psi, da HBO, Contardo Calligaris, ilustrando seu texto na Folha de S.Paulo. Essa semana o título da coluna foi “Najila, Neymar e os comentários”.
Ilustração para a coluna do Contardo Calligaris na Folha de S.Paulo por Luciano Salles
Em um texto assertivo, Contardo, mais uma vez, deixa latente sua visão e posiciona o leitor para refletir sobre o assunto neste mundo instantâneo de análises, julgamentos e sentenças. Convido você a fazer a leitura por esse link: http://bit.ly/2UdFNqu
Robert Smith por Luciano Salles
Já sobre o Robert Smith, eu fiz um desenho do cantor e dei de presente para um amigo de longa data em seu aniversário, que se passou na mesma semana. Só isso, nada que o vincule as peripécias contidas nos parágrafos anteriores.
É isso! Fico por aqui enquanto preparo uma curta imersão de dois meses para os meus leitores.
Um abraço.
Luciano Salles.

Ilustração para o jornal Folha de S.Paulo por Luciano Salles.
Olá, tudo certinho?
Eu recebo o texto na terça-feira ao final da tarde, por vezes no começo da noite e tenho que enviar o desenho finalizado até às 14h da quarta-feira, para a redação do jornal.
O Contardo tem um escrita fluída, de pensamentos rápidos, ligando assuntos que pouco se atrevem ou se interligam, quase como se escrevesse um ensaio; o motivo dessa postagem é tentar fatorar os meios por onde chego na ilustração que será publicada.
Ao receber o texto direto do e-mail dele, já respondo que recebi para ele ficar tranquilo com sua parte do trabalho. Combinamos o uso do e-mail pela praticidade. 
Os textos sempre dão uns “chacoalhões” e isso desde quando eu assinava o jornal físico (a mais de 15 anos). Não sei se a prática de atender pacientes em consultas o conduz para esse formato de escrita mas, de fato, para mim, sempre foi assim.
A primeira leitura que faço é apenas uma apreciação do texto e por isso, evito pensar que terei de ilustrar sobre o que estou lendo. Por muitas vezes, uma segunda leitura se faz necessária apenas para uma melhor compreensão do que foi escrito.
Sketch “podrera” por Luciano Salles.
É geralmente na terceira leitura e essa, mais nas entrelinhas, que começo a refletir sobre o conteúdo ali exposto. Como é um texto corrente, parece que tudo ali foi preenchido como um rio preenche e percorre seu leito. Esse passa a ser meu desafio.
Penso que a ilustração dever ter o poder de atrair e quem sabe, conduzir os olhos do leitor curioso para o que deve estar escrito ali. Sei que o Contardo tem seus fieis leitores mas não custa tentar angariar um novo. Por esse motivo, essa terceira leitura é bem mais crítica, onde procuro algo que o Contardo não escreveu mas ficou velado entre tantas sentenças.
Foto da página do caderno Ilustrada.

Para o texto desta semana, especificamente, o que me atinou foi o fato de que precisamos de fantasias para viver. Não só nos aspecto sexual, como o texto viceja, mas vivemos em prol de fantasias que criamos, acreditamos e realmente são necessárias (as saudáveis no aspecto social geral).

Dentro de toda essa amplitude e carga contextual, convido para a leitura do texto por esse link http://bit.ly/2DT54RI para seguir a trilhas e passos que procurei tomar para chegar na arte publicada.

Fico por aqui no aguardo de comentários, compartilhamentos, sugestões e o que mais quiser inserir logo abaixo.
Um abraço.
Luciano Salles.
Ilustração para a coluna do Contardo Calligaris na Ilustrada da Folha de S.Paulo
Foto da qualidade da impressão com essa
escolha de cores
Olá, tudo bem?
Não tenho uma resposta exata para a pergunta que dá nome ao post e, principalmente, quando a impressão será feita para um jornal. Não entendo sobre impressão gráfica, não tenho um traquejo em cores e faço tudo o que faço, basicamente, no instinto. Você pode se perguntar: isso é bom? Claro que não!
Sempre defendo para quem se pretende ser um desenhista, ilustrador ou quadrinista, que faça um curso de desenho, de cores, perspectiva e tudo mais o que puder aprender. Não tive essa oportunidade devido aos caminhos que escolhi (e não me arrependo) porém, sinto falta de algumas ou bastantes orientações.
Digo isso pois é sempre uma dificuldade acertar as cores das ilustrações que envio para a Folha de S.Paulo. 
A ilustração dessa semana ficou fantástica na impressão do jornal porém, a da semana passada, não ficou exatamente como eu esperava que ficasse. O problema não é da impressão do jornal e sim das escolhas das cores e suas variáveis dentro do espectro CMYK. 
Na próxima semana entrarei em contato com uma pessoa na Folha que entende muito sobre processo de impressão e tratamento de imagens no jornal.
Assim que tiver maiores informações sobre o que aprender e o que me for passado, um novo post com informações precisas será feito.
Um abraço!
Luciano Salles.
Ilustração para a coluna do Daniel
Furlan
, na Folha de S.Paulo.
Olá, tudo bem com você?
Nessa segunda-feira, publico minha última ilustração para a coluna do Daniel Furlan na Folha de S.Paulo. Continuo ilustrando para o jornal com apoio irrestrito da minha super editora.
Foram 8 meses de parceira entre agosto de 2018 até 25/03/2019. Reconheço que gostava muito de fazer as ilustrações para os textos, mas tudo tem um início e um término. O importante é que continuo a ilustrar com alguns novos desafios solicitados pelo jornal.
Agradeço imensamente as inúmeras mensagens de leitores e as pessoas que gostavam do trabalho que fazia na coluna. Agradeço a minha editora por montar esse time com o Furlan. Agradeço ao Daniel pela parceria nestes 8 (oito) meses de colaboração. Estou triste, mas grato pela oportunidade que me concederam. Muito obrigado.
Esse é o link para a leitura da coluna: https://goo.gl/LQ6VaE
Um abraço.
Luciano Salles.
Compre agora EUDAIMONIA, minha última publicação em quadrinhos que teve 3 (três) indicações para o troféu HQMIX! Sua HQ chegará autografada e com dedicatória.

Ilustração para a Folha de S.Paulo por Luciano Salles
Olá, tudo bem?
Tempos confusos produzem em mim certa desordem. Fico angustiado, por vezes desestimulado mas desistir não é uma opção. Luto ferrenhamente contra isso com yoga e, se preciso for, auxílio médico.
Já percebeu que existem ambientes que não te fazem bem? Então, este é o impacto que as redes sociais me provoca e por isso pouco tenho acessado. Apenas o suficiente para divulgar meus trabalhos. 
Esse não é um post político onde repetirei os termos da moda que repercutem exaustivamente, discursos efêmeros, disputa de likes, engajamentos setorizados em contas de Instagram, Twitter ou Facebook onde hashtags elegem presidentes, impulsionam e destroem celebridades, desmembram comunidades e disseminam ódio.
Este é um post sobre ilustração, sobre ser quadrinista e sobre não desistir sob pretexto algum. 
Sendo sincero, esta é uma postagem que escrevo para mim. Para me energizar, para renovar as crenças no meu potencial, no meu desenho e no meu trabalho como quadrinista.
Tenho cinco história em quadrinhos publicadas sendo que todas foram indicadas a prêmios. Apenas uma publicada por editora e as demais de forma independente. Não tenho um(a) agente que me represente, ilustro semanalmente para a Folha de S.Paulo e trabalho sozinho em Araraquara, interior do estado de SP.
Sketch para a ilustração
por Luciano Salles
O parágrafo acima representa o período de 03 de abril de 2012 até os dias atuais (13,9% da minha vida).
Neste mês de novembro, decidi fazer as ilustrações para os textos do Daniel Furlan de forma um pouco diferente. Vou tentar algumas mudanças no meu traço e extrapolar – ainda que sutilmente – o conteúdo da coluna publicada as segundas-feiras na Ilustrada, o caderno de cultura da Folha de S.Paulo.
Essa é a primeira ilustração do mês de número onze. Pra mim é nítido que o traço traz uma sútil diferença mas gostaria de ouvir de você: percebe isso? Se quiser comentar é só deixar suas impressões logo abaixo.
O link para a leitura da coluna “Rainha de Marte” é este: https://goo.gl/Vk58Ac
Desejo uma boa semana com forças renovadas pra mim, assim como para você.
Um abraço!
Luciano Salles.
Ilustração para a Ilustrada,
da Folha de S.Paulo.
Olá, tudo bem?
A partir desta segunda-feira, estreio ilustrando o debutar da coluna semanal do ator Daniel Furlan na Ilustrada, “um caderno cultural” da Folha de S.Paulo
Recebi o convite naquela velocidade e horários que só a loucura de uma redação de um grande jornal deve proporcionar. Como minha editora é incrível e o convite foi demais, aceitei – quase que – na hora¹ e fiquei bem feliz em saber que todas as segundas essa parceria será publicada.

Daniel Furlan é ator, comediante e tem tantos outros adjetivos que deixo o link da wikipedia para saber mais sobre o camarada. Teve grande destaque na TV Quase, um canal do Youtube, onde interpreta o motorista de van Renan (dono de uma Towner azul bebê), no programa Choque de Cultura.

Deixo o link para a leitura de “Recreio da Revolução”, primeira coluna dessa parceria: https://goo.gl/guW78z
Muito obrigado por visitar o blog, por ler a postagem e se tiver alguma pergunta ou ponderação, é só inserir nos comentários que agora é pelo Disqus e logo respondo a todos e todas.

Foto da nova coluna que estreia hoje na Folha de S.Paulo

Grande abraço.

Luciano Salles.

¹Para quem me conhece, sabe que durmo muito cedo e demorei para entender as mensagens da  minha editora espalhadas e quicando no meu telefone.

Ilustração para os 10 anos a revista Serafina

Olá, tudo bem?

Tive a honra em ser um dos ilustradores convidados para participar da comemoração dos 10 anos da revista Serafina. A publicação tem edição bimestral pela Folha de S.Paulo e acompanha os assuntos relevantes que movimentam o cenário sócio-cultural no Brasil e no exterior.
Fui chamado para fazer uma arte com a seguinte proposta: como você imagina que vai ser o mundo daqui a 10 anos?

Link para o jornal: https://goo.gl/D7DMyQ

Contextualizando: alguns dias antes de receber o convite, passei pela gripe mais forte que já peguei. Foi a primeira vez que tive uma tosse forte, dificuldade para respirar e ficava muito cansado, com meus batimentos cardíacos acelerados para fazer qualquer atividade.

Pautado com a indagação e com a péssima lembrança de que não conseguia respirar direito, comecei a pensar no desenho. Bem, 10 anos é um curto período para alguma super revolução tecnológica, para a descoberta de um grande bem para humanidade ou mesmo a cura de alguma doença que não querem que seja erradicada. É bem mais fácil que neste curto período de 10 anos, Donald Trump faça alguma bobagem nuclear junto de seus amigos Putin, Kim Jong-un, Bashar al-Assad entre tanto outros.

Ilustração para os 10 anos a revista Serafina

Qual não foi minha surpresa quando, 9 (nove) dias após a entrega do trabalho, li a triste notícia no site da ONU: 9 em cada 10 pessoas no mundo respiram ar poluído. O levantamento foi feito pela OMS (Organização Mundial da Saúde).

É uma verificação alarmante – leia as matérias nos links –, com números assustadores e uma realidade muito próxima a ilustração publicada. Vamos fazer a nossa pequena parte direito que com certeza será de grande valia.

Termino por aqui. Deixe seus comentários, curta e siga o blog ou, cadastre seu e-mail para receber todas as novas postagens e atualizações que faço por aqui.

Um abraço.

Luciano Salles.

Sketch para aprovação do editorial da revista
Sketch para aprovação do editorial da revista