Posts

Olá, tudo bem camarada?
O site Mob Ground, dentro da série Coletivando, escreveu sobre meus quadrinhos, algumas curiosidades, lendas sobre a venda da minha moto e sobre meu primeiro Catarse. A matéria ficou bem legal e disponibilizo aqui o link para você ir direto para o site do Mob Ground, ler e fuçar no tanto de material massa que os caras tem.
Mas também, se preferir, deixo logo abaixo toda pauta.
E falando em meus quadrinhos, você já apoiou o financiamento coletivo de EUDAIMONIA? Se ainda não, acesse o site do Catarse pelo link www.catarse.me/eudaimonia, conheça o projeto e se gostar, saiba que seu apoio é fundamental.
Grande abraço.
Luciano Salles.












[Texto por Diego Penha]

Os gibis de Luciano Salles já deram as caras aqui no Mob Ground. Se você ainda não conhece as publicações deste taquaretinguetano, corra atrás, pois você precisa conhecer Luzcia, a Dona do Boteco, Limiar: Dark Matter, L’amour: 12ozO Quarto Vivente.

Eu mesmo já me arrisquei em resenhar o L’amour: 12oz, e se tem uma coisa que fica clara nesta resenha é a qualidade do trabalho de Luciano e a habilidade que ele tem de fazer da leitura de seus gibis uma “experiência”. Ler suas publicações não é algo fácil, pois eles demandam tempo e atenção. Acredito que isso esteja totalmente relacionado ao próprio tempo e atenção que Salles investe em suas criações. Quem o acompanha no Facebook ou em seu site Dimensão Limbo  pode testemunhar à passos miúdos a gestão de seus projetos. Não só isso como as próprias reflexões do artista quanto as diversas questões que giram em torno das etapas de confecção, divulgação, publicação e distribuição de seus produtos.

Luzcia, a Dona do Boteco, O Quarto Vivente e Limiar: Dark Matter, respectivamente sua primeira, segunda e última publicação foram financiadas de maneira totalmente independente. Reza a lenda que para publicá-las, Luciano precisou não só vender sua moto, mas também vendeu uma vértebra no mercado negro – no vídeo promocional de Eudaimonia, Salles optou por fazer um curta em que ele está correndo na rua ao por-do-sol; sendo intencional ou não, o vídeo ressoa de maneira interessante na lenda da venda da moto, afinal agora ele está à pé para correr atrás de seu trampo.

Na sequência, ele publicou seu L’amour: 12oz como gibi estreante da Editora Mino. Tem um novo gibi à caminho chamado Eudaimonia e uma das novidades é que Luciano decidiu pela alternativa de financiamento coletivo através do Catarse. Enquanto escrevo esse post, ainda restam 21 dias de campanha e restam 4 mil reais para que a meta do financiamento coletivo seja atingida.

Como está especificado na página da campanha é uma publicação curta em preto e branco, com 32 páginas. Será impressa em papel pólen bold LD90g/m², com capa colorida pelo incrível Marcelo Maiolo em papel cartão Triplex LD330g/m² e tamanho 17cm x 26cm.

A história acompanha Piwl-Pa-Col, um estranho e solitário caçador que falha na tentativa de abater “uma parte” de sua presa. O interessante é que segundo a sinopse, Luzcia, a personagem de seu primeiro gibi voltará para auxiliar Piwl-Pa-Col. Assim sendo, de maneira bastante metalinguística, Luciano decide pedir auxilio de seus leitores, para publicar Eudaimonia com financiamento coletivo.

Quem já acompanha o trabalho de Luciano Salles sabe que é um investimento com garantia de qualidade de roteiro, arte, acabamento e talvez o mais e importante e singular dos trabalhos do rapaz: os seus gibis demandam tempo para para serem lidos, não são leituras de compreensão fugaz.

Apoio básico: R$20,00 (PDF); R$25,00  (exemplar impresso)

Meta: R$15.000
Encerramento da campanha: 21/10/2017 às 23h59m59s
APOIO e + INFORMAÇÕES no link: https://www.catarse.me/eudaimonia
(M), de ‘L’Amour: 12 oz’ – Por Luciano Salles
Opa camarada. Tudo certo?
A repercussão do teaser do meu novo trabalho foi demais. Lancei aqui os sites que fizeram a divulgação com seus respectivos links.
Só tenho que agradecer tamanha atenção e interesse! As páginas da HQ estão caminhando bem e o que ainda não está definido é se entro com o projeto da confecção da revista pelo sistema de crowdfunding.
O que já devo dizer é que se optar por este caminho, com toda certeza, a revista já estará pronta e em processo de impressão. Assim, o prazo entre a colaboração e a entrega das revistas será rápido.
Grande abraço!
Luciano Salles.
Universo HQ
Contraversão
Terra Zero
Alan Guedes
Quadrinhosfera
Cenário HQ
MobGround
Portal Garagem Hermética Quadrinhos
HQ Maniacs
Pipoca e Nanquim
Não Leio
Melhores do Mundo

Olá camarada! Tudo certo?

Recebi hoje uma baita resenha legal sobre ‘O Quarto Vivente’.
Sim, e ela veio pelo grande MOB Ground! Você pode optar em ler a resenha direto no site ou, toda ela por aqui.

Baita abraço

Luciano Salles.

Uma grande surpresa: O Quarto Vivente

vivente
Sempre que pego uma HQ nova, tento analisar, através do título, da capa e em uma folheada rápida nas páginas dela, o que o autor estava pensando quando começou a roteirizar e desenhar aquele trabalho e o que ele quer nos mostrar com esse trabalho. Sei que é um pouco precipitado e difícil chegar a alguma conclusão apenas com esses itens citados, uma HQ é muito mais que uma capa e um título, mas temos de concordar, especialmente se tratando de trabalhos mais independentes, que são itens muito importantes no momento da escolha e da compra de um produto.
E foi assim logo que recebi O Quarto Vivente, de Luciano Salles.
A HQ
“Em 2.177, o Brasil acolheu fraternalmente França para dentro de seu território, pois toda Eurasia, em um processo rápido de quase 60 anos, foi inundada pelos oceanos. Os demais países dessa enorme área, foram da mesma forma, acolhidos por outras nações. É um novo mundo estranho, diferente do que se imaginava, onde o acaso se perdeu e os seres humanos estão totalmente voltados para o único e para o ‘um’. É onde a jovem Juliett-e Mano-n, descobre um método para mudar os caminhos até então percorridos e escolhidos.”
Analisei muito o trabalho dele, bem mais do que deveria para ser sincero, sempre acontecia algo e acabava não conseguindo lê-la. Mas logo de cara você tem um título um pouco fora do comum, mas que, por alguma razão, me remeteu ao filme O Quinto Elemento – e que depois de conseguir apreciar a leitura calmamente vi que não tem quase nada relacionado um com o outro além da história se passar em um futuro (não tão) distante -, uma capa que parece não explicar muito, mas que possuí um traço firme e marcante e páginas que, ao folheadas, não dizem muito além da bela ilustração feita pelo autor.
E ficou nisso por algumas semanas, até que consegui ler da forma como eu queria, com calma, tentando pegar os detalhes e as referências do trabalho.
Sobre o Autor
Luciano Salles, também conhecido com Pirica, nasceu em 1975, na cidade de Taquaritinga, interior do estado de SP. Ainda criança pequena, mudou-se para Araraquara, onde encontrou as coisas que viriam a ser suas paixões: rock’n’roll e quadrinhos.
Graduou-se em Engenharia Civil e Engenharia de Segurança do Trabalho. Labutou, também, anos como bancário. Entretanto, mesmo durante esses longos períodos, sempre se manteve fiel aos quadrinhos e os desenhos.
Em 2012, decidiu viver somente de sua produção artística. Entre trabalhos de ilustração, produziu sua primeira HQzine “Luzcia, a Dona do Boteco” e agora lança sua segunda empreitada “O Quarto Vivente”.
Li a primeira, a segunda e a terceira vez e em cada uma descobria coisas novas, entendia diálogos e interpretava os acontecimentos de formas diferentes e, ao mesmo tempo em que tudo parecia não fazer o menor sentido, estavam interligados, talvez dentro da minha cabeça, talvez essa tenha sido a intenção do Luciano ou ainda eu simplesmente não devia estar entendendo porra nenhuma do que estava acontecendo ali.
Não que isso seja ruim ou estrague a experiência da leitura, mas sim o oposto, toda a satisfação desse trabalho está nisso, pensar e repensar nas possibilidades, entender que o leitor faz parte daquele conjunto e, apesar de todas as impressões da HQ serem exatamente iguais, as pessoas que a lerem terão visões diferentes (e as vezes até opostas) sobre o que está acontecendo ali. Como disse o Raphael Fernandes na sua resenha para o Contraversão, no fim, você seria o quarto vivente da história, pois ela só existe porque você está ali para interpretar (ou não) tudo aquilo.
Posso afirmar que alguns acharão que os diálogos são incompletos, outros conseguirão encontrar referências filosóficas daquelas mais obscuras possíveis e com certeza essa é a grande sacada do Luciano Salles, fazer com que as pessoas reflitam sobre os dias de hoje e o nosso obscuro futuro, sobre a individualização e a “independência” dos seres humanos e tentar ligar tudo isso ao trabalho dele.
A arte é algo belo e desconcertante, Luciano tem traços muito bem definidos e utiliza bem as cores em cada detalhe, ainda mais tendo um formato A4 e uma linda impressão colorida em papel couchê, tornando todo o conjunto em algo único e muito bem feito.
Confesso que o universo explorado nessa HQ deveria ser expandido para outros contos ou talvez um arco mais complexo que ligaria essa história a muitas outras que eu acredito que existam na mente do autor.
Capa_vivente
O Quarto Vivente
Autor: Luciano Salles
Páginas: 44
Nota: 7,5
Valor: R$20,00
Maiores informações e compras: em:https://www.dimensaolimbo.com/