Posts

Ilustração para o jornal Folha de S.Paulo por Luciano Salles.
Olá, tudo certinho?
Eu recebo o texto na terça-feira ao final da tarde, por vezes no começo da noite e tenho que enviar o desenho finalizado até às 14h da quarta-feira, para a redação do jornal.
O Contardo tem um escrita fluída, de pensamentos rápidos, ligando assuntos que pouco se atrevem ou se interligam, quase como se escrevesse um ensaio; o motivo dessa postagem é tentar fatorar os meios por onde chego na ilustração que será publicada.
Ao receber o texto direto do e-mail dele, já respondo que recebi para ele ficar tranquilo com sua parte do trabalho. Combinamos o uso do e-mail pela praticidade. 
Os textos sempre dão uns “chacoalhões” e isso desde quando eu assinava o jornal físico (a mais de 15 anos). Não sei se a prática de atender pacientes em consultas o conduz para esse formato de escrita mas, de fato, para mim, sempre foi assim.
A primeira leitura que faço é apenas uma apreciação do texto e por isso, evito pensar que terei de ilustrar sobre o que estou lendo. Por muitas vezes, uma segunda leitura se faz necessária apenas para uma melhor compreensão do que foi escrito.
Sketch “podrera” por Luciano Salles.
É geralmente na terceira leitura e essa, mais nas entrelinhas, que começo a refletir sobre o conteúdo ali exposto. Como é um texto corrente, parece que tudo ali foi preenchido como um rio preenche e percorre seu leito. Esse passa a ser meu desafio.
Penso que a ilustração dever ter o poder de atrair e quem sabe, conduzir os olhos do leitor curioso para o que deve estar escrito ali. Sei que o Contardo tem seus fieis leitores mas não custa tentar angariar um novo. Por esse motivo, essa terceira leitura é bem mais crítica, onde procuro algo que o Contardo não escreveu mas ficou velado entre tantas sentenças.
Foto da página do caderno Ilustrada.

Para o texto desta semana, especificamente, o que me atinou foi o fato de que precisamos de fantasias para viver. Não só nos aspecto sexual, como o texto viceja, mas vivemos em prol de fantasias que criamos, acreditamos e realmente são necessárias (as saudáveis no aspecto social geral).

Dentro de toda essa amplitude e carga contextual, convido para a leitura do texto por esse link http://bit.ly/2DT54RI para seguir a trilhas e passos que procurei tomar para chegar na arte publicada.

Fico por aqui no aguardo de comentários, compartilhamentos, sugestões e o que mais quiser inserir logo abaixo.
Um abraço.
Luciano Salles.
Ilustração para a coluna do Contardo Calligaris na Ilustrada da Folha de S.Paulo
Foto da qualidade da impressão com essa
escolha de cores
Olá, tudo bem?
Não tenho uma resposta exata para a pergunta que dá nome ao post e, principalmente, quando a impressão será feita para um jornal. Não entendo sobre impressão gráfica, não tenho um traquejo em cores e faço tudo o que faço, basicamente, no instinto. Você pode se perguntar: isso é bom? Claro que não!
Sempre defendo para quem se pretende ser um desenhista, ilustrador ou quadrinista, que faça um curso de desenho, de cores, perspectiva e tudo mais o que puder aprender. Não tive essa oportunidade devido aos caminhos que escolhi (e não me arrependo) porém, sinto falta de algumas ou bastantes orientações.
Digo isso pois é sempre uma dificuldade acertar as cores das ilustrações que envio para a Folha de S.Paulo. 
A ilustração dessa semana ficou fantástica na impressão do jornal porém, a da semana passada, não ficou exatamente como eu esperava que ficasse. O problema não é da impressão do jornal e sim das escolhas das cores e suas variáveis dentro do espectro CMYK. 
Na próxima semana entrarei em contato com uma pessoa na Folha que entende muito sobre processo de impressão e tratamento de imagens no jornal.
Assim que tiver maiores informações sobre o que aprender e o que me for passado, um novo post com informações precisas será feito.
Um abraço!
Luciano Salles.
Ilustração para a coluna do Contardo Calligaris para o jornal Folha de S.Paulo
Print da Folha de S.Paulo online
Olá, tudo bem com você?
Durante 8 meses ilustrei a coluna do Daniel Furlan na Folha de S.Paulo. Depois desse tempo, a minha super editora fez o convite para uma nova parceria com o dramaturgo, escritor e psicanalista, Contardo Calligaris.
Fiquei encantado com o convite por vários motivos: já fui assinante da Folha do S.Paulo (quando nem em sonho imaginava trabalhar profissionalmente com meus desenhos) e uma das colunas que lia era a dele; por inúmeras vezes ouvi o Contardo falando na TV, dando entrevistas ou conduzindo algumas aulas em outros momentos e sempre como um ouvinte atento as palavras deste italiano radicado no Brasil há duas décadas.
Dois parágrafos foram necessários para a abertura deste post intitulado Bacante; Fiquei entorpecido quando recebi o texto (ainda bruto) do Contardo. Quase como um ensaio, as palavras fluem por assuntos que, de tal modo, tudo se encaixa e, por vezes, uma segunda leitura (no meu caso) se faz necessária.
A ilustração emanou a partir desta segunda passada de olhos pelo texto. O desenho tinha que ter 4 (quatro) tranças sendo puxadas sem que o leitor não tenha a visão de quem as estirava. Além disso, precisava distorcer muito a imagem que faria. Queria o limite da dor no prazer ou do prazer na dor.

Sketch “podrera”
Pé da minha esposa Lilian como referência

Enquanto pensava na ilustração, recebi um e-mail do Contardo, onde anexava um arquivo em .PDF com algumas imagens de uma exposição com telas da artista Regina Parra. Lendo o e-mail (sempre carinhoso), percebi que estava no caminho certo.

Por aqui termino com um curto vídeo onde passo nanquim nas tranças.

Grande abraço.
Luciano Salles.
Batman: Gárgulas, por Luciano Salles
Olá, tudo bem?
Essa é a segunda e última arte exclusiva para a Comic Con 2018. Levarei o desenho original, para que curte e coleciona essa categoria e também, farei prints. Poucos para ser sincero e por isso, da mesma forma que fiz com o desenho do Superman, 80 anos, abrirei uma lista para a reserva dos prints pois assim você garante o seu sem o risco de que se esgotem (o que espero que aconteça ?).
Para essa CCXP (abreviação de Comic Con Experience), não terei nenhum quadrinho novo. Ainda estou trabalhando na divulgação e vendas de EUDAIMONIA, minha última HQ e publicada no mesmo evento, em 06/12/2017 – compre aqui seu exemplar autografado e com dedicatória.
Recebo mensagens com perguntas sobre lançamentos para este ano enfatizo que não tenho. Não tenho (me desculpe a redundância com o verbo ter) pois não tenho pressa para lançar um novo gibi.
Penso que publicar uma nova HQ seja muito mais do que somente apresentar uma nova publicação. Gosto de trabalhar bem um quadrinho novo, buscar novas resenhar, alcançar novos leitores que nunca ouviram falar do meu trabalho e vender toda a tiragem (sempre de 1.500 unidades). Acredito que tudo isso seja tão importante quanto o frenesi de ser ter sempre um quadrinho novo na manga além do fato de não curtir fazer nada de forma apressada.
Estou escrevendo um roteiro novo, que está me trazendo uma boa dose de trabalho (o que é bom) e já adianto para você, leitor do blog, o nome da nova HQ. Será chamada de “Duplo, eu”.
Voltando ao desenho, estou fazendo as cores do mesmo e se desejar, jápode reservar seu print ou mesmo, comprar a arte original. Para isso, envie um e-mail para lucianosalles@dimensaolimbo.com com o o título: Quero um print de Batman, Gárgulas.
Batman: Gárgulas, por Luciano Salles
O tradicional “sketch podrera”.
Lembre-se de anotar o número da minha MESA H01 para assim, no evento, ter uma sequência dos locais que desejar passar.
Quando terminar as cores e achar o momento ideal, publico aqui o resultado junto de todos o material que levarei para a CCXP 2018 e que aliás, estou indo com o apoio cultural e incondicional do Colégio Pueri Domus, da Portal Informática, World Game, Mondrian Ambiente, Visual Comunicação e do espaço Shanti Yoga.
Espero que tenha gostado do desenho e não se esqueça de reserva sua peça! Seu comentário é sempre muito bem vindo e será respondido em breve.
Grande abraço.
Luciano Salles.
Ilustrações para a coluna do ator Daniel Furlan, publicada todas as segundas-feiras no caderno Ilustrada, na Folha de S.Paulo
Olá, tudo bem?
Fazem três meses que a coluna do ator Daniel Furlan estreiou na Folha de S.Paulo. Fui convidado pela edição do jornal para formar o time com ele. Colunista e ilustrador.
Desde o primeiro texto tenho tentado, dê certa forma, ilustrar com total liberdade porém atento a cadência da escrita e sempre ficando dentro do contexto. É um texto fluido, quase que um ensaio.
Segue o link para todos os textos:
– “Pedro no auge” https://goo.gl/jCMes6
– “O doce sabor da glória total” https://goo.gl/tkSuu8
– “História de amor” https://goo.gl/di9iJK
– “História de amor parecida” https://goo.gl/nKUPdm
– “As propriedade cicatrizantes do abacaxi” https://goo.gl/hXDeM5
Para o próximo mês, tentarei ousar um pouco quanto ao meu traço. A possibilidade de ilustrar toda semana apresenta essa margem para o trabalho e para isso, seria legal seu feedback aqui nos comentários.
Grande abraço.
Luciano Salles.
Imagem que contém resenha no instagram do Fora do Plástico
Olá. tudo bem?
Na semana passada saiu uma resenha da minha última publicação em quadrinhos pelo Fora do Plástico, uma conta do Instagram que é fantástica e basicamente fala sobre HQ. É muito legal seguir a conta e perceber como eles sabem utilizar extremamente bem a plataforma.
Conheci a Mariana e o Pedro, casal responsável pela página, no FIQ 2018. Não lembro se concedi alguma entrevista para eles que são extremamente simpáticos, interagem muito bem e de forma inteligente, com os autores.
Segue a resenha e aqui está link para você seguir o Fora do Plástico no Instagram. Com certeza vale por toda publicação que fazem!
Deixo aqui meu abraço e, logo abaixo, o link para adquirir seu exemplar de EUDAIMONIA!
Luciano Salles.

Clique na imagem para ser direcionado para minha conta na Amazon. A HQ será enviada com um autografo e dedicatória.

Resenha de EUDAIMONIA pelo Fora do Plástico
Texto por Mariana Viana.

“Eudaimonia não é um quadrinho fácil. Nada ali está explicado ou entregue de forma fácil e evidente. Na verdade, foi somente na segunda leitura que captamos alguns detalhes e nuances que Luciano Salles insere em meio a suas hachuras e traços finos em nanquim. Aqui, acompanhamos um matador de aluguel vestido de leopardo (que parece um tanto tolo) que tem uma segunda chance para efetivar sua caçada. Para isso, ele conta com a ajuda de Luzcia, a rabugenta dona de um boteco.

Com falar característico, olhar duro, e crises de artrite, Luzcia é um personagem que gera empatia no primeiro olhar (mesmo já tendo sido apresentada em um dos primeiros trabalhos do autor). O quadrinista traz para a protagonista uma força visceral feminina, que transmite a garra de uma sobrevivente, custe o que custar. Luzcia parece não conhecer o medo.

Embora a HQ não entregue muita profundidade na construção dos personagens, toda a narrativa de Eudaimonia flui facilmente, embalada pela arte única de Luciano Salles e pelo tom de suspense. É uma pena que o quadrinho seja tão curto. Terminamos com a sensação de que poderíamos ver aquela história se desenrolar por várias páginas, afinal, ela capta o leitor, deixando-o imerso no universo nonsense ali apresentado.

Você pode terminar este gibi com um ponto de interrogação ou pode se sentir inebriado pela experiência inusitada que o quadrinho proporciona, já buscando retornar à primeira página. Na verdade, não há como prever a reação de um leitor a Eudaimonia. Talvez fosse exatamente esse o objetivo do autor: despertar um resultado imprevisível em quem fecha as últimas páginas do gibi.”


Olá, tudo bem?

Ontem foram divulgadas as mesas que cada artista ocupará na CCXP 2018. São mais de 540 artistas do mundo inteiro, alocados no Artists’ Alley e que concorreram, através de portfólios, as tão disputadas mesas do evento.
Além das mesas, também foi divulgado o perfil de cada artista no site da CCXP e que estará no Artists’ Alley. Este é meu link: https://www.ccxp.com.br/artists-alley/1109
Esse ano estarei na MESA H01 e, na última semana de novembro, faço um novo post com o que levarei para a convenção. Além de concorrer a mesa, é importantíssimo ressaltar que a mesma conta com o apoio cultural da World Game, da Mondrian Ambiente e da Portal Informática.
Elio Lio da World Game
Entenda como apoio cultural o fato de que empresas de Araraquara, cidade onde moro, foram as responsáveis por quitar o valor referente ao uso da mesa durante todos os dias do evento. Desta forma, sou muito grato aos empresários Elio Lio, responsável pela World Game e a Teresa, que responde pela Mondrian AmbienteSão pessoas da iniciativa privada que sempre apoiam a arte, cultura e o esporte na cidade de Araraquara. Deixo aqui meu sincero agradecimento pela oportunidade concedida. Também conto com o apoio da Portal Informática, dos camaradas Marcelo Piva e o Cris.
Teresa Magnani da Mondrian Ambiente
Entretanto a batalha é árdua e ainda tenho as despesas com hotel, transporte (ônibus intermunicipal, UBER e metrô) e alimentação, que ainda dependem de apoio cultural.
Desde 2014, ano da primeira Comic Con Experience, recorro a esses patrocínios para ir ao evento e esse tem sido o ano onde conseguir apoio cultural tem sido mais difícil. Geralmente, “nos outubros” anteriores, já estava com tudo certo e organizado financeiramente para o evento. Enfim, ainda estou na luta!
Para finalizar, lembre-se de anotar a MESA H01 no seu controle de “mesas para visitar”. Nos vemos em dezembro na maior Comic Con das Américas.
Um abraço.
Luciano Salles.
Ilustrações para a coluna do ator Daniel Furlan, publicada todas as segundas-feiras no caderno Ilustrada,
na Folha de S.Paulo
Olá, tudo bem?
Ao invés de ficar publicando um novo post, toda segunda-feira, sobre a ilustração para a folha ilustrada, preferi consolidar todos os desenhos na última segunda-feira do mês.
Logo abaixo, junto do nome da coluna deixo o link para a leitura de cada publicação. Basta se cadastrar no site da Folha de S.Paulo para ter acesso a leitura de 10 publicações gratuitas por mês.
– O pênis https://goo.gl/bFvrnt
– Self-service https://goo.gl/yHVHK8
– O brigadeiro https://goo.gl/bfHzYj
Fique a vontade para deixar seus comentários, dúvidas e que mais desejar.
Um abraço.
Luciano Salles.

Olá. Tudo bem?
Essa será uma postagem em dois tópicos:
Commission por Luciano Salles, com base
na foto de Terry O’Neill
01. Commission David Bowie:
Recebi essa encomenda de arte original para ser feita com base na foto de Terry O’Neill, para a divulgação do disco Diamond Dogs (1974, RCA Records). Como sempre faço, pesquiso bastante antes do trabalho e descobri tantas coisas sobre a sessão de fotos, sobre o contato do músico com o fotógrafo, a posição das fotos não utilizadas e tantas outras curiosidades que, caso seja fã de David Bowie, vale muito uma pesquisa a fundo sobre o álbum e as fotos de divulgação.
02. Pinup para a campanha do Catarse de CHAOS, nova HQ de Felipe Folgosi. Não tenho muito claro como foi que  conheci o Felipe. É claro que eu sabia que ele é um ator, que fez e faz teatro, novelas em grande emissoras e que de repente, o via em eventos de quadrinhos, em sua mesa e com suas publicações. O fato é que não me recordo exatamente quando é que começamos a conversar. Acabei participando de um documentário produzido por ele e pelo Jun Sakuma, e assim, flui.

Gabriel, personagem de Felipe Folgosi
em CHAOS, sua nova HQ em campanha
de financiamento coletivo pelo Catarse
Em algumas destas conversas, tive que negar dois pedidos dele por questão de cronograma e prazos até que deu certo. Ele me convidou para fazer um desenho do seu personagem Gabriel, um garoto de uns 8, 9 anos, detentor poderes paranormais e que dará continuação ao seu quadrinho Aurora.

Adendo: fiz um lançamento de EUDAIMONIA em São Paulo, na deliciosa escola Quanta Academia de Arte, um dos meus pontos de parada preferidos quando vou para a capital.

Chego de viagem, tomo um café por um preço normal, como um pão de queijo por um preço normal, vou ao banheiro, escovo os dentes, reabasteço minha garrafinha de água, fico por ali, conversando, desenhando e por vezes, trocando ideias com fenomenal e famigerado, Marcelo Campos.

Por fim, no lançamento, apenas um autor de quadrinhos foi ao evento. E este foi o Felipe. Guardo isso com carinho.


Sempre é bem legal que recebo comentários por aqui. Isso é sinal que estamos nos desvinculando um pouco das redes sociais. Pra mim é uma vitória!
Grande abraço.
Luciano Salles.
Homem-Aranha por Luciano Salles
Sketch cover CCXP17 por Luciano Salles
Olá, tudo bem?
Durante a Comic Con Experience 2017, algumas pessoas me pediram para fazer sketch cover. Durante o evento eu não faço mas sempre dou a opção para a pessoa entregar sua revista pois trago para meu estúdio em Araraquara e depois devolvo com a arte pronta, via SEDEX. Confesso que perco muitas oportunidades de fazer esses trabalhos com essa condição que imponho, entretanto, consigo fazer um trabalho melhor elaborado pelo valor cobrado. Acho justo com a pessoa que está confiando sua revista para uma capa exclusiva.
No segundo dia do evento, um camarada chegou até minha mesa para que eu fizesse um Spider-Man em sua revista com a capa imaculada de branca. Expliquei as condições do parágrafo anterior e combinamos que ele deixaria comigo no dia seguinte. Naquela loucura que é a CCXP, não lembrei que receberia a revista e de fato não recebi.
No dia 29 de dezembro de 2017, recebi um e-mail de um camarada chamado Giovanni. No corpo da mensagem ele explicava que não havia deixado o sketch cover comigo pois havia “caído” de bicicleta e passado por uma cirurgia.

Observação: cair de bicicleta é uma coisa, como deixei claro para o camarada na troca de e-mails que você confere na imagem.

Trecho da troca de e-mail com o ciclista acidentado
O mais legal foi a ideia dele para a arte: um Homem-Aranha com o braço direito quebrado. O mesmo que ele tinha quebrado. Nem preciso dizer que adorei a ideia!
Demolidor por Luciano Salles
Demolidor por Luciano Salles
O Daredevil é resultado das recompensas do Catarse de EUDAIMONIA, minha nova história em quadrinhos que foi publicada e lançada em dezembro de 2017. A recompensa era limitada em 5 apoios e o financiador levava uma arte original em tamanho A4.
Neste desenho eu quis testar o trabalho com as cores chapadas, sem sombreamento, luzes, texturas e o que mais se faz para colorir. Gostei do resultado final.
É isso!
Um abraço.
Luciano Salles