Posts

Ilustração para o Especial Vestibular da Folha de São Paulo.
Foto por Thea Torlashi Severino

Olá camarada, tudo bem?

Hoje foi publicado o ESPECIAL VESTIBULAR No Meio do Ano, um caderno da Folha de São Paulo e que tive a honra em fazer a ilustração para a capa. Fiz duas versões. Uma colorida e outra de acordo com o pedido pela editora do Jornal, como se tudo fosse desenhado com uma caneta esferográfica preta. 
O processo é sempre o mesmo. Faço um “rafe” básico e porcão do que será a ilustração (Sketch 01 – lá no final do post) e, aprovado pela edição do jornal, vou para o desenho final.

Nessa ilustração, especificamente, acabei trabalhando em etapas. No inicio havia um balão de texto para cada “Válvula de Conhecimento” plugada na cabeça do vestibulando.

(Imagem 01): Ilustração para o caderno Vestibular da
Folha de São Paulo por Luciano Salles.
Versão Colorida.

Até então, o desenho trabalhava com um fundo em branco como gosto de fazer. Entretanto todos os balões não seriam mais usados e as ranhuras da mesa começaram a brigar com o fundo em branco.

Por uma boa sugestão da edição do Jornal, decidimos inserir um cenário mínimo  que fiz como o ambiente de estudo do vestibulando. Com essa alteração, enviei dois arquivo para o Jornal. Uma imagem do estudante sem nenhum balão (Imagem 01) e outra somente dos balões para a diagramação ajustar de acordo com a manchete e textos do caderno.

No final tudo deu certo.

Sempre, contando com um provável plano B, trabalho com uma versão colorida e que também disponibilizei aqui (Imagem 02). Isso é uma prática minha pois tenho a possibilidade de treinar o trabalho de colorir e, em qualquer surpresa pela velocidade que a redação do jornal vive, ter o arquivo pronto em mãos.

(Imagem 2): Ilustração para o caderno Vestibular da
Folha de São Paulo por Luciano Salles. “Plano B”.

Na imagem 03, você confere o desenho sem o fundo ou cenário e com todos os balões de texto, ainda com base na primeira ideia que fechamos para a edição ou seja, fundo branco.

E para encerrar a postagem, você pode conferir o  rápido rascunho porcão (Sketch 01 que citei no começo do post) que envio para aprovação da ilustração.

É isso. O blog está aberto para receber seu comentário que com certeza será respondido rapidão.

Um abraço!

Luciano Salles.

(Imagem 03): O desenho ainda sem o cenário e com
um balão de texto para cada “Válvula de Conhecimento”.

(Sketch 01): O desenho sempre é pensado antes
de qualquer traço. Então faço um rápido rascunho
(rápido mesmo, menos de 2 minutos)
para aprovação do Jornal.

Roots Bloody Roots, por Luciano Salles para o livro
InDISCOtíveis

Olá. Tudo certo?

Quando recebi o convite do meu camarada Itaici Brunetti para ilustrar um livro sobre 14 discos clássicos da música brasileira, minha resposta foi um imediato, sim.
Foram 14 escolhas ecléticas que só a musicalidade brasileira pode originar. Sendo assim, me senti privilegiado e premiado com os discos que deveria ilustrar. Roots Bloody Roots do Sepultura, Sobrevivendo ao Inferno do Racionais e Cabeça de Dinossauro dos Titãs.

Conheço muito bem os três álbuns desde quando foram lançados, mas para esse trabalho, procurei (re)ouvi-los com uma percepção diferente.

Sobrevivendo ao Inferno, por Luciano Salles para o livro
InDISCOtíveis

A partir das novas audições, trabalhei nas três peças e cheguei aos resultados ao lado.

No site do livro InDISCOtíveis, você pode conferir todos os autores e ilustradores que colaboraram com a obra literária.

É sempre uma honra participar de um projeto onde se percebe que carinho, amor e dedicação são peças fundamentais para o resultado final da obra.

Grande abraço!

Luciano Salles.

Cabeça de Dinossauro, por Luciano Salles para o livro
InDISCOtíveis

Olá, camarada! Tudo certo?
E para deixar esse FIQ que acabou de passar ainda mais lindo, foi lançado na quarta-feira, dia 18/11/2013, o espetacular Mônica(s)!
Mônica, por Luciano Salles
A obra contou com a co-autoria de 150 artistas de todo mundo e, tive o imenso privilégio de ter sido convidado para essa publicação. Esse livro é uma obra de arte e deve fazer parte da coleção de qualquer aficcionado pelas bandas desenhadas.
Essa ao lado, é minha versão da baixinha e dentuça (que ela não me ouça), mais carismática do Brasil!
Enfim, foi uma experiência única e incrível participar desse livro, afinal, comecei a ler meus primeiros gibis lá em Taquaritinga, nos primeiros anos da década de 80. Você já imagina que gibi eram esses? Sim, da Turma da Mônica.
Baita Abraço…
Luciano Salles.
Capa do livro Mônica(s), por Benício
Festival Internacional de Quadrinhos
Mônica, por Will Eisner.
Olá, camarada! Tudo bem?
Minha primeira experiência com a literatura e os quadrinhos, foram condensadas em um gibi da Turma da Mônica, presente dos meus pais, fato esse ocorrido em 1981, na cidade de Taquaritinga. Lembro também que nesse gibi, havia uma história do Penadinho e alguma coisa relacionada com o Frank…pirei!
Ali, minha alfabetização tomou forma e minha paixão pelos quadrinhos, deu início. Eu já desenhava nessa época. Passava horas olhando o gibi e tentando reproduzir os desenhos.
Ontem, dia 25 de Outubro de 2013, o editor da MSP, Sidney Gusman, revelou o nome dos 150 artistas que foram convidados para ilustrar o livro Mônica(s).
Essa é uma edição comemorativa dos 50 anos de criação da mais carismática, dentuça e gorducha, personagem do mundo das bandas desenhadas e criada pelo mestre Maurício de Sousa. E o que me deixa extremamente feliz é que fui convidado para participar, com a minha arte, dessa imensa obra!
Estou entre tantos artistas que admiro, que às vezes, é estranho, ver meu nome entre eles. Mas não acho ruim isso não … rs.
Acredito que em breve, o livro deva chegar em todas as livrarias do Brasil e quem sabe até, um retorno as bancas!
Baita abraço!
Luciano Salles.
Leather Horns by Luciano Salles

Olá, camarada. Tudo certo!

Não é novidade para ninguém que minha maior influência sempre foi o vanguardista e atemporal, Jean Giraud Moebius.
Minha identificação com suas obras e desenhos sempre foram imediatas.
Ontem, ao pensar em fazer esse desenho que chamei de Leather Hornes, sabia que poderia remeter demais ao francês Gir.
Leather Horns by Luciano Salles – Color Full

Todavia, decidi fazer a peça, pois como sempre enfatizei, minha formação como desenhista e quadrinista foi erguida lendo as linhas suaves e poéticas do Mestre, que nos abandonou em 2012.

Para sempre e sempre, Moebius!

Grande abraço!

Luciano Salles.

Camaradas, boa semana a todos!

Venho manter atualizada a produção minha HQ para vocês!

Hoje começo da desenhar a página doze da revista e até o final de semana fecharei a página dezessete. Ainda nessa semana, também começo a montar a paleta de cores que usarei.

A tiragem que penso em fazer inicialmente é de 1.5oo exemplares, que serão vendidas on-line aqui pelo site. Nessa quantidade consigo derrubar bem o preço da revista.

Por enquanto é isso…
Deixo para vocês uma foto com um pedaço de uma página.

O Quarto Vivente – Uma HQ de Luciano Salles

Grande abraço!

Luciano Salles.

Camaradas, boa tarde-noite!

Estou feliz demais fazendo minha nova HQ que chamo de ‘O quarto vivente’. Acredito que antes do meio do ano eu já esteja com ela impressa e em minhas mãos!

E, em respeito aos que acompanham e torcem pelo meu trabalho, mostro aqui uma foto que fiz de um pedaço de uma das páginas iniciais da futura revista.

Grande abraço!

Luciano Salles.

‘O quarto vivente’.
Adoro o filme Blade Runner.
Então, estou fazendo esse Noir Retrofit Taxi. E gostei tanto que participarei do Sketchbook Project 2o13 preenchendo meu Moleskine somente com veículos desse tipo.
Vejo vocês por aí…
Noir Retrofit Taxi – por Luciano Salles

Tenho que entregar um trabalho mas dei uma travada e decidi fazer um segundo The strongest man in the world… .

E ai está!
The strongest man in the world bathed Panoramix.
Minha versão, quase total fiel, de Obélix.
Boa semana a todos!
Camaradas!
Mais uma atualização.
Sim, essa madrugada produzi ‘The strongest man in the world is myopic’. Adorei o personagem e o nome que com certeza usarei em um trabalho que estou fazendo.
Cheers!