Posts

“Reimo” foi um dos personagens criados
no encontro. Foto cedida pela instituiçao.

Olá, tudo bem com você?

No dia 10 de maio, dei uma aula de desenho e criação de personagens na Fundação CASA (Centro de Atendimento Socioeducativo ao Adolescente) que, antigamente, tinha o nome de FEBEM.

ADENDO: devido às normas da instituição, fotos dos internos não são permitidas e por isso, para ilustrar a postagem, usei um desenho resultante da oficina.

Estava com tudo preparado. A apresentação para projeção, exercícios práticos, exercícios para reflexão e expansão da percepção, folhas de sulfite, lápis e tudo mais para boas horas de trabalho.

Era hora de ir para a Fundação Casa.

Como disse, estava com tudo preparado em minha mochila mas, a partir do momento que olhei a porta de entrada da Fundação, percebi que não estaria apto para o que encontraria.
Passando a primeira porta, recebi uma revista de praxe em uma sala minúscula com apenas um banco de alvenaria. Dali seguimos por um caminho tranquilo e entramos em um prédio que mais parecia uma escola. Um corredor com salas nas laterais.
Ao final do corredor viramos a esquerda, andando um pouco mais e saímos dessa área; paramos em frente a uma porta de barras de ferro de aproximadamente 4 cm de diâmetro. Entramos por ali e ficamos enclausurados entre essa porta e outra totalmente fechada com apenas um pequeno vidro escuro. Avisaram que era a funcionária “Juliana” com o rapaz que daria o curso de desenho. Nossa passagem foi liberada.
A sensação e sentimentos que tive foram de apequenar minha existência. Fiquei angustiado com aqueles muros de mais de 4 ou 5 metros de altura além de metros e metros de concertinas. Antes deste muro ainda havia um gradil muito alto.
Ela me levou onde aconteceria a aula e começamos a montar o projetor quando um menino apareceu na porta. Era um interno. Uma criança.
Percebi que para os funcionários, aquele é um ambiente normal de trabalho e a situação passa a ser rotineira e, de certa forma, comum. Qualquer pessoa que trabalhe em um local de reclusão de pessoas se acostuma com o ambiente assim como nos acostumamos a trabalhos em bancos, contando muito dinheiro que não é nosso, ou qualquer outro lugar de trabalho.
Os meninos iam entrando e a turma se formou com 12 garotos entre 15 e 18 anos. Entre os que estavam diretamente envolvidos na oficina (eu e a garotada reclusa), eu era o único branco.
As duas horas e trinta minutos passaram num piscar de olhos e a oficina foi fantástica com um resultado incrível! Fechamos a oficina, fizemos uma foto muito legal de toda turma, nos despedimos com abraços e voltei para o meu estúdio.
Ainda penso muito sobre essa oportunidade incrível que tive.
Ainda penso muito naqueles muros e concertinas.
Ainda penso muito em como meninos entram e saem em um fluxo quase que “natural” pela instituição.
Ainda penso muito que nascer aqui ou ali, determina, em grandes percentuais, sua passagem por um centro de reclusão e ressocialização.

Ainda penso muito.

Um abraço.

Luciano Salles.

Commission por Luciano Salles
Olá, tudo bem?
No meio de fevereiro recebi um pedido de commission (termo utilizado para a encomenda e compra de um trabalho original e exclusivo), de um cidadão norte-americano que reside especificamente no estado da California.
Todos os processo formais formam feitos, fiz o desenho com o tema que ele queria e enviei para o endereço indicado.
O comprador recebeu o trabalho e de forma educada e pragmática como os americanos são, disse que amou o desenho mas enfatizou estar um pouco confuso quanto ao tamanho do trabalho. 
ELE TINHA RAZÃO! Eu recebi a encomenda em formato A3 e, simplesmente, fiz a arte no formato A4. Não sei o que me levou a isso! Onde eu estava com minha cabeça durante todo o tempo que fiz o desenho? Por qual motivo não revisei nossas trocas de mensagens antes de confirmar o tamanho da encomenda?
Sinceramente? Não sei…
Fui educado pelos meus pais a assumir qualquer erro que tivesse cometido e vou confessar que errei muito! Se errou, assuma, diziam eles. Faça um sincero pedido de desculpas e repare o erro o quanto antes.
Foi o que fiz. Pedi desculpas pelo ocorrido. Expliquei que não entendi o que me motivou a fazer o desenho no tamanho errado e que estava claro que a arte deveria ser em tamanho A3. Aliás, um detalhe importante: eu cobrei o valor por uma arte no tamanho A4 então estou ciente também do prejuízo financeiro que terei (meu tempo desenhando, o custo da postagem, papel, tintas, embalagem e correios).
Entretanto erros acontecem e hoje começo o novo desenho para o californiano e que tanto aprecia meus trabalhos.
Um adendo: enfatizo que a instituição financeira que trabalhei, principalmente onde comecei (Banco Real), tinha uma política de que erros acontecem, devem ser entendidos, não repetidos e reparados de forma rápida e sem custos para o cliente.
Retrabalho é chato mas estou fazendo como se fosse a primeira encomenda. Aliás, vou fazer um desenho totalmente diferente do que está ilustrando o post.
E você? Já errou “gostoso” assim?
Deixe suas cagadas nos comentários e vamos nos consolando…
Um abraço.
Luciano Salles.
Ilustração para a coluna do Daniel
Furlan
, na Folha de S.Paulo.
Olá, tudo bem com você?
Nessa segunda-feira, publico minha última ilustração para a coluna do Daniel Furlan na Folha de S.Paulo. Continuo ilustrando para o jornal com apoio irrestrito da minha super editora.
Foram 8 meses de parceira entre agosto de 2018 até 25/03/2019. Reconheço que gostava muito de fazer as ilustrações para os textos, mas tudo tem um início e um término. O importante é que continuo a ilustrar com alguns novos desafios solicitados pelo jornal.
Agradeço imensamente as inúmeras mensagens de leitores e as pessoas que gostavam do trabalho que fazia na coluna. Agradeço a minha editora por montar esse time com o Furlan. Agradeço ao Daniel pela parceria nestes 8 (oito) meses de colaboração. Estou triste, mas grato pela oportunidade que me concederam. Muito obrigado.
Esse é o link para a leitura da coluna: https://goo.gl/LQ6VaE
Um abraço.
Luciano Salles.
Compre agora EUDAIMONIA, minha última publicação em quadrinhos que teve 3 (três) indicações para o troféu HQMIX! Sua HQ chegará autografada e com dedicatória.

Oficina de desenho e ilustração no SESC Ribeirão Preto em 09/02/2019
Olá, tudo bem?
No dia 09/02/2019, coordenei uma oficina de desenho e ilustração no SESC Ribeirão Preto e foi sensacional.
Com uma turma incrível, eclética e totalmente interessada na oficina, esse trabalho foi o melhor que já puder fazer pelos SESCs.
Infelizmente, muitas outras pessoas ficaram de fora e não puderam participar da oficina de acordo com a capacidade que definimos para o tamanho do grupo.
Quem sabe o SESC não decide contratar novamente o curso de ilustração e desenho?
Um detalhe interessante é que percebi que os “oficineiros” estavam por demais ansiosos, terminando os exercícios propostos na metade do tempo previsto ou menos. A sequência de exercícios são montadas de forma que o(a) participante vai imergindo na experiência do curso, entretanto, eu ainda notava que a maioria estava em um estado mais “aéreo”.
No intervalo do almoço decidi aplicar um exercício respiratório tradicional para quem pratica Yoga. Chama-se “respiratório quadrado” e é muito eficaz para deixar as pessoas mais aterradas e foi o que aconteceu. Funcionou muito bem e a oficina continuou de forma excelente.
Insiro abaixo algumas fotos e você pode ficar a vontade para deixar perguntas nos comentários.
Um abraço!
Luciano Salles.
Um pequeno exercício respiratório (pranayama) dentro da
oficina de 
desenho e ilustração no SESC Ribeirão Preto
em 09/02/2019
Oficina de desenho e ilustração no SESC Ribeirão Preto
em 09/02/2019
Oficina de desenho e ilustração no SESC Ribeirão Preto em 09/02/2019
Itto Ogami e Daigoro por Luciano Salles

Olá.

Há bastante tempo que compro mais quadrinho japonês do que de outras nacionalidades e desde quando a Panini relançou Lobo Solitário, estou indo a banca buscar meus exemplares. É uma HQ fantástica.
Fiz esse desenho do Itto Ogami e seu filho Daigoro após ter entregado um trabalho encomendado e depois de algumas tentativas de sketches. Quando comecei a pensar o desenho, meu traço estava duro e sem a fluidez que queria e que a peça necessitava. Você pode acompanhar a rigidez dos traços pelos rascunhos que  disponibilizei no final da postagem.

Feito o desenho, era hora da colorização. Após ter finalizado as cores, enviei uma mensagem para meu amigo e “parça” Marcelo Maiolo, colorista de mão cheia e que assina nem sei quantos títulos para a Marvel, DC Comics, Image e tantas outras editoras. O processo de colorização é sempre o mais sofrido pra mim e o Maiolo deu o aval de que estava pronto e finalizado o desenho com as cores que havia escolhido. Ter um OK desse meu “parça” facilita demais em saber quando parar.

Itto Ogami e Daigoro por Luciano Salles – Versão PB

Quando digo que o aval do colorista me ajuda –mesmo ele não tendo feito nada no trabalho –, é que as cores são pra mim, o processo que mais demanda energia em todo processo.

O meu desenho é a versão PB e pronto (que aliás, o desenho original está a venda. É só enviar um e-mail para lucianosalles@dimensaolimbo.com) É essa versão que você pode conferir logo ao lado. Veja bem, não é que não gosto de colorir. Eu gosto mas é que dependendo do profissional que faça as cores, isso só fará que seu desenho ganhe em potencial.

Sketches duros!

Logo abaixo você pode conferir os três rascunhos que fiz para chegar no desenho final. Também pode perceber que o sketch 03 nem tem nada a ver com o desenho final mas foi a partir dele que a cheguei onde queria. Como disse, estava com o traço todo duro e esses rascunhos super rápido que faço não são nada bons para que a fluidez do meu traço venha. O pincel é que realmente me ajuda na sutileza e levaeza que pretendo impor ao desenho.

Sketch duro 01

Print?

Penso que esse desenho tenha potencial para um possível print que possa levar para o FIQ 2018. O festival já é no final do mês que vem e é hora de começar a acertar a logística no calendário.

Enfim, é isso! Vou ficando por aqui mas antes gostaria de perguntar: gostou do post? Você acha legal quando apresento esse rascunhos podrera que faço para chegar ao desenho final? E acha legal mais postagens deste tipo?

Deixe suas impressões nos comentários.

Um abraço.

Luciano Salles.

Sketch duro 02
Sketch duro 03

Blob por Luciano Salles para o livro:
“Os mundo de Jack Kirby”
Olá, tudo bem?
Logo nos primeiro dias do ano recebi um e-mail convidando para participar de um projeto comemorando os 100 anos do inigualável Jack Kirby. Você pode até não conhecer o nome dele mas os personagens, com certeza, conhece. Um exemplo: Capitão América. Pronto, você conhece uma parte em um milhão do que Kirby fez.
O convite veio a partir do colega e quadrinista Will Sideralman e como ainda não havia começado a desenhar minha nova HQ ELA, deu certo para aceitar e colaborar com a publicação que estreiou ontem no Catarse! São 100 artistas desenhando os personagens criados ou co-criados pelo Kirby.
Recebi uma lista imensa de personagens para escolher e é claro que os super-heróis de primeiro escalão já estavam escolhidos. Mas na real, eu não estava afim de desenhar um personagem fortão, bombado ou icônico. Pensei logo no oposto e fui procurando pela lista um vilão que sempre gostei muito. Pronto, perfeito! Ninguém havia escolhido o Blob!
Rascunho do Blob por Luciano Salles
Vilão do tipo burrão, o “objeto irremovível” sofreu durante sua infância na escola (e geral) depois que começou a engordar sem parar devido a sua mutação. Sim, o cara é um mutante, inimigo clássico dos X-Men.
Espero que tenha gostado do desenho e fica a dica para colaborar com essa campanha no Catarse: Os mundos de Jack Kirby. Neste link estão todos os artistas que estão participando do livro, as recompensas, valores e tudo mais para dirimir suas dúvidas!

Deixe seus comentários, siga o blog e espalhe no BIG DATA (talvez o próximo post).

Um abraço!
Luciano Salles.
Etapas da arte-final por Luciano Salles
Lápis do Blob por Luciano Salles
Lucky Luke por Luciano Salles
Olá camarada, tudo bem?
Estou no Paraná mais especificamente na Bienal de Quadrinhos de Curitiba que acontece de 8 a 11 de setembro de 2016. Ah, importantíssimo! Só conseguir vir para o evento pois sai correndo atrás de apoio cultural para minhas passagens e hospedagem na cidade. E através da Mondrian Ambiente e da World Game que consegui participar da Bienal. Deixo aqui meu agradecimento a esses dois patrocinadores! Muito obrigado Teresa Magnani e Elio Lio.
Para me encontrar vai ser fácil!
Estou na MESA 18 junto dos amigos Liber Paz e Bianca Pinheiro. Nossa mesa fica no subsolo do evento. Estarei com minhas três últimas HQ e com alguns prints que estão relacionados no post: Estarei na Bienal de Quadrinhos de Curitiba.
Lucky Luke por Luciano Salles

Mas essa postagem é para divulgar que estou participando da exposição dos 70 anos do Lucky Luke. Quando o Claudio Martini, da editora Zarabatana me convidou, recebi uma lista de personagens para escolher e de cara escolhi o Lucky Luke e Mamãe Dalton. Sempre achei a Ma Dalton uma personagem muito peculiar. Desde a forma como ela arrecada mantimentos para a caridade até suas vestimentas e acessórios.

A exposição conta com os seguintes artistas: Natalia Forcat, Marco Oliveira, Julio Shimamoto, Santiago, Mario Cau, Camilo Solano, Germana Viana, Bira Dantas, Adão Iturrusgarai, Marcatti, Luciano Salles, Gustavo Machado, Evandro Luiz, Antonio Carlos Moreira, Fernandes e Lucs Varela.
E assim, finalizando, se estiver em Curitiba nesses dias, visite o MUMA e a Bienal de Quadrinhos de Curitiba.

Fique a vontade para deixar suas impressões, se estará na Bienal de Curitiba e o que estiver afim de me dizer.

Nós vemos por lá!

Um abraço.

Luciano Salles.

Turma do curso de férias da Quanta Academia de Arte
ENTENDA SEU ESTILO DE DESENHO E NARRATIVA.
Foto por Marcelo Campos.
Olá, tudo bem?
Ontem aconteceu o curso de férias e que coordenei – Entenda seu Estilo de Desenho e de Narrativa – na Quanta Academia de Artes. Como sempre, fui muito bem recebido por toda equipe da escola e pelos alunos.
Foi fechada uma turma excelente, com um direcionamento claro e com vontade de trabalhar com as histórias em quadrinhos. Foram seis horas que, pra mim, voaram…
Ali tentei mostrar que já existe algo do seu estilo meio que como uma semente adormecida e não percebida ainda por cada um. Apesar de ser um tema bem subjetivo para se tratar, a aula fluiu extremamente bem, com os alunos interagindo, questionando diretamente a mim, como uns aos outros. Isso é demais. Uma grande troca de aprendizado para todos.
Turma do curso de férias da Quanta Academia de Arte
ENTENDA SEU ESTILO DE DESENHO E NARRATIVA.
Obrigado aos alunos Anãndara, Igor, Jéssica, Kitos, Marcelo e Natacha. Muito obrigado Marcelo Campos pelo convite, em abrir sua escola, pelo acolhimento, carinho e confiança no meu trabalho! 
Abraço e beijo para cada um vocês. E para você que acompanha o blog, muito obrigado pelas visitas. Quem sabe, em uma próxima, não nos encontramos em um destes cursos de férias da Quanta Academia de Artes. Inté…
Luciano Salles.

Spider–Man por Luciano Salles
Olá, tudo bem?
Há quase uns 40 dias atrás, um camarada e amigo me chamou em um conversa online. Através dela e por ele, cheguei a conclusão que deveria treinar a desenhar cenários. Por isso fiz aquele desenho da Ms. Marvel, depois fiz o Tiro no pé, um ilustração para a ZUPI e, agora, fiz esse Homem Aranha.
Confesso que estou praticando e ainda não cheguei nem em 80% da plasticidade que quero com os personagens interagindo com os cenários mas estou estudando. Acredito ser muito bom reconhecer falhas no seu desenho. É um processo de aprendizado e apaziguamento do ego.
Enquanto ia produzindo o desenho, conversamos online sobre o andamento. Foram algumas tentativas. Na minha primeira fiz um Aranha muito duro. Ele estava muito forte (sketch 1) e não estava nem um pouco “aracnídeo”.
Então, fiz alguns rascunhos rápidos de algumas posições mais plásticas (sketch 2) para chegar onde queria. Fiquei com duas opções (sketch 3). 

Sketch 1 – Muito forte, nada aranha

Tenho mais dois camaradas, um quadrinista e outro colorista, que sempre mostro as versões finais. Sempre gosto da opinião sincera deles.
Enfim, sou grato aos três! Espero que você também tenha gostado do resultado final. Se quiser, deixe seu comentário por aqui. Com certeza responderei!
Um abraço.
Luciano Salles.
Sketch 3 – As duas opções
Sketch 2 – Melhor plasticidade
Olá, tudo bem?
Se você é de São Paulo e gigantes arredores, deixo aqui o convite para dois eventos:
– No dia 05/05/2016, às 19h30, haverá um bate-papo e palestra com sessão de autógrafos no Instituto HQ. O evento é gratuito e acontece na própria escola que fica na Avenida Pompeia, 2014.
Estarei com uma promoção legal em meus quadrinhos e alguns prints. Vale lembrar que será aceito cartão de débito e crédito.
– No dia 30/07/2016, das 10 às 17h, estarei na Quanta Academia de Artes para o curso de férias: Entenda seu estilo de desenho e narrativa. 
O curso tem uma carga horária de 6 horas sendo que haverá uma hora de intervalo. De forma pessoal e analisando cada aluno, vamos caminhar em direção da descoberta do que é, possivelmente, o melhor para seu traço. Tudo isso é bem pessoal e é ai que pretendo ajudar cada inscrito. 
Os valores do curso e muito mais detalhes você confere aqui: Curso de férias com Luciano Salles na Quanta!
Espero encontrar você em um deste eventos ou quem sabe nos dois. Use os comentários para deixar qualquer dúvida, sugestão, crítica ou mesmo elogio 😉
Um abraço.

Luciano Salles.