Posts

Space Ghost e Blip por Luciano Salles
Olá, tudo bem?
Space Ghost foi um dos desenhos que mais assisti no começo dos anos 80 e foi assim até 1985. A pouco mais de um mês, pensei que seria legal desenhar o herói, piloto do Cruzador Fantasma. Ao mesmo tempo, a ideia de fazer um The Savage Dragon também me animava.
Decidi fazer uma enquete no Facebook para conhecer o resultado de qual desenho faria. O que não imaginava é que o Space Ghost ganharia tão facilmente!
Enquanto trabalhava neste desenho (e também em outros trabalhos), comecei a perceber e a finalmente entender meu traço. Parece ser um papo de doido isso mas saquei algumas coisas que não percebia.
É bem provável que uma leve mudança nos meus desenhos finalizados sejam percebidos e acredito que isso só venha a contribuir com o meu trabalho.
Ah! Esse desenho vai ser um dos prints que levarei para o FIQ 2018!

Espero que tenha gostado do desenho. Se não conhece o herói, é só digitar no Google e assistir alguns desenhos no Youtube. Só lembrando que é um desenho produzido em 1966 então a pegada é outra. Vale a pena!

E como sempre tudo tem um fim, muito obrigado por sua visita. Fique a vontade para deixar seu comentário, seja ele qual for. Pode ser sobre o desenho ou o texto, sobre o conteúdo e quantidade das postagens, a diagramação e o que mais achar legal deixar registrado. Você pode seguir o blog, cadastrar para receber o conteúdo de cada atualização em seu e-mail ou mesmo adicionar em sua aba de favoritos.

Fico por aqui!

Um abraço.
Luciano Salles.

Space Ghost e Blip por Luciano Salles

Sketch podrera por Luciano Salles

Sketch podrera por Luciano Salles
Sketch podrera por Luciano Salles

Olá, camarada. Tudo certo?

Nos dias 26 e 27 de maio, participo do SESI-SP Mix Cultural na Unidade de Marília. Contribuo com a Oficina Literária: Quadrinhos Autorais e Independentes.

Serão apenas dois dias, das 19h às 21h30, com 30 vagas que devem ser feitas através do e-mail cacmarilia@sesisp.org.br

Mais informações pelo telefone (14) 3417 4500.

Grande abraço e até lá!

Luciano Salles.

‘O Primeiro Da Classe’, de Luciano Salles
Olá, camarada. Tudo bem?
Enquanto trabalho em processo intenso de imersão na minha nova HQ L’Amour: 12 oz, espero e torço para que o resultado das minhas pré-indicações para o HQMIX se tornem indicações.

Então sim, minha ansiedade vai voltar aos padrões normais.

Enquanto isso, fique com o desenho ‘O Primeiro Da Classe’, segundo take.
Baita abraço!
Luciano Salles.
Olá camarada. Tudo bem?
Estou feliz e profundamente imerso nos trabalhos da minha nova HQ. E como o post abre sobre novidades, vamos lá!
09: Novo video de L’Amour: 12 oz para você. Assista e se gostar, compartilhe.

10: Ainda não decidi sobre o processo de crowdfunding
11: Uma editora se apresentou interessada na HQ e já conversamos bastante. Não posso deixar de ressaltar que isso me deixa contente demais.
12: O revista estará com certeza na minha mesa na Comic Con Experience, que acontece em São Paulo, entre 4 e 7 de Dezembro de 2014.
Encerro por aqui!
Espero que tenha gostado do video estilo ‘one take’.

Grande abraço!

Luciano Salles.

‘Guerrillas’ por Luciano Salles
Olá camarada. Tudo bem?
Para voltar com tudo desenhando as páginas de L’Amour: 12 oz, tirei o domingo para finalizar esse Batman.
Em ‘Gerrillas’, fiquei na tentativa e erro de um espesso gás envolvendo todo Homem Morcego. Acredito que a expectativa que eu tinha foi solucionada.
Agora volto para as páginas do meu novo trabalho  onde me impus, como meta inegociável, estar com a revista linda e pronta em minhas mãos, no final do mês de novembro.
Ainda nada está definido sobre um provável processo de crowdfunding. Mas confesso que estou bem tentado a embarcar nesta aventura.
Só tenho que pensar antecipadamente em recompensas diferentes, e originais de grande artistas que admiro. Mas isso é coisa para ser pensada em a revista pronta e totalmente orçada na gráfica.
Finalizando!
O Bloguesaite Dimensão Limbo está aberto para você contribuir com comentários e sugestões. Logo abaixo, mais duas imagens do desenho.
Grande abraço!
Luciano Salles.
Original em A4 de ‘Gerrillas’ por Luciano Salles
Detalhe de ‘Gerrillas’ para o app Instagram
Rise and Fall, por Luciano Salles
Olá, camarada. Tudo bem?
No evento da Gibiteria, no sábado passado, recebi dois convites incríveis! Em breve poderei falar! 
Por enquanto, fique com esse desenho e com a trilha sonora ideal.
Abraço.
Luciano Salles.

O Quarto Vivente, de Luciano Salles.
‘Rito de Graduação da Policiamável’
Olá, camarada! Tudo bem?
Acabou de sair mais uma resenha sobre a minha HQ, O Quarto Vivente. Agora, saiu no blog do Alan Guedes!
Logo abaixo, você confere na integra a resenha mas, fica o convite para conhecer o blog do camarada Alan!
No mais, meu foco agora é forte no meu novo trabalho: L’Amour.
Entretanto, ainda tenho muito pra trabalhar com O Quarto Vivente, que você pode adquiri por aqui mesmo e por somente R$ 20,00!
Grande abraço!
Luciano Salles


O Quarto Vivente
Por Alan Guedes, às 06:59

Ao ler pela primeira vez “O Quarto Vivente” eu tive a mesma sensação de quando eu terminei de assistir pela primeira vez “2001 – Uma Odisseia no Espaço”.
Você entenderá o que digo, quando também ler o gibi.
Mas, felizmente, não é só com referências à obra de Stanley Kubrick que o gibi bebe da fonte. Há referências a “1984” de George Orwell ali, um pouco de “Admirável Mundo Novo” de Aldous Huxley aqui. E por aí vai.
Entretanto, uma boa história não se faz só com referências vomitadas na cara do leitor. A história tem que ter seu ponto de egocentrismo. Onde ela possa se destacar e diferenciar das quais, provavelmente as influenciou.
E o autor Luciano Salles fez isso muito bem. Ele (re) criou o mundo ao seu olhar e a sua forma de narrar à história. A primeira vista, pode-se aparecer um pouco estranha, confusa até. Mais, com alguns textos no meio do gibi e algumas releituras ou em apenas uma, você notará que Luciano fez um trabalho incrível.
O Quarto Vivente não é apenas uma leitura comum, é uma vivência. Você irá conhecer um pouco de todo esse mundo diatópico e singular, onde a Europa não existe mais. Os sobreviventes das hecatombes foram acolhidos fraternalmente pelos outros países. O Brasil adotou a França.
Com isso, tudo mundo. Cultura, costumes, a língua, política. TUDO mudou!
Sabe o egocentrismo que citei lá em cima? Então, no futuro de Luciano ele é o que move o mundo. O Ego. O EU.
O Acaso não existe mais. Tudo é controlado, até mesmo a gravidez. Os filhos agora são gerados geneticamente para serem seres perfeitos.  
Juliett-e Manon, a personagem da história é linda e intrigante e, que está disposta a se a riscar. Fugir dos padrões.
HUMPF…
Contar um pouco mais da história seria estragar o prazer da leitura e da descoberta de algo novo.
Essa é a primeira HQ de Luciano Salles com uma história longa, seu trabalho anterior foi o zine “Luzcia, a Dona do Boteco”, que infelizmente não tenho nenhum exemplar e também não li.
Outro ponto alto da HQ é sem dúvida a sua qualidade gráfica. Lombada quadrada, orelhas, verniz na capa e impressão de qualidade, é de dar inveja a muitas publicações feitas por editoras. Ah… Se eu não disse, digo agora, Quarto Vivente é uma publicação independente. Se quiser adquirir uma é só entrar em contato com o autor pelo seu site https://www.dimensaolimbo.com/.
E como ultimo elogio ao trabalho de Luciano, digo que além de ser mais um novo talento ao mercado independente de quadrinhos, ele é um dos poucos autores que ousam a pensar fora da caixa para contar suas histórias.
Seu desenho é lindo. Um traço limpo e desconcertante ao mesmo tempo. Suas formas e linhas são cheias de expressões e provocações.
Os olhos dos personagens são de impressionar. Hipnotiza se você ficar olhando por muito tempo.
As cores e a composição das páginas são outro ponto forte para a história. 
Fazia tempo em que não vi uma história original tão boa.
Não vejo a hora de ter em mãos o próximo trabalho de Luciano.
Memorize.

Finalize.
A artrite de Luzcia, uma história de Luciano Salles
Camarada, tudo bem?
Eis que apresento, dentro dos meus cronogramas, o que tenho programado para 2014 e 2015!
Isso é tão somente, a apresentação dos personagens e alguns testes de cores por onde pretendo conduzir.
Um pouco mais para frente, lanço realmente dois teasers de como as coisas certamente virão.
Aproveito o post para já divulgar o curso que vou coordenar no SESC Ribeirão Preto, em todas as quartas-feiras do mês de Janeiro.
Será realizado dentro do projeto HQ Lab – Laboratório de Histórias em Quadrinhos e vou falar basicamente sobre as HQs Independentes, Autorais e como trabalhar sua auto promoção.

L’Amour, uma história de Luciano Salles

Assim que a programação já estiver pronta, divulgo também por aqui!
Espero que tenha gostado das novidades!
Um baita abraço…
Luciano Salles.

Olá, camarada. Tudo certo?
Boas notícias para o começo de 2014.
Já em Janeiro, vou coordenar o próximo : HQ Lab – Laboratório de Histórias em Quadrinhos, evento que acontece no SESC Ribeirão Preto.
O curso será em todas as quartas-feiras de Janeiro, das 19 h 00 às 21 h 30.
O assunto vai ser específico em Quadrinhos Autoral, Independente e Auto Produção. Ali não pretendo ensinar nada e sim, trocar ideias e experiência com os que se participantes.
Em breve, mais detalhes por aqui mesmo! Abraço!
Aguardo você lá!
Luciano Salles.

Olá, camarada, tudo certo?

Mais uma entrevista bem legal e agora para o site, Cenário HQ. Confira aqui na integra!
Abraço…
Luciano Salles.

Entrevista – Luciano Salles

Por  Em  · 1 Comentários · Em Sem categoria
salles
A primeira vez que vi O Quarto Vivente foi na Monkix. Um dia entrei lá e o Marcelo me mostrou, “esse cara deixou esse livro aqui, ele é do interior”. Peguei o livro e comecei a folhear. Me lembrou muito os europeus nos quadrinhos. Perguntei quem era o cara. “Ele era bancário”. Eu pensei “porra, mas gente nesse emprego, quando surta, sai metralhando gente na rua, não faz quadrinhos”. Na verdade, o Luciano sempre foi ilustrador. Trabalhou no banco pra ajudar a pagar as contas. Enfim peguei o livro e levei para casa. Meses depois ele participou de uma tarde de autógrafos na Monkix, junto com o pessoal da Miolo Frito e da LOKI. Vi o cara lá, sentado, na dele, autografando os livros. Ali comecei a falar com ele. Lembro que fazia frio e o cara de bermuda. Conversamos sobre quadrinhos, o interior de São Paulo, o Batman com seu suspensório de utilidades, e, claro, peguei meu autógrafo. E acompanhando as publicações em seublog, suas postagens no Facebook e outras entrevistas que ele deu, você vê que o cara é muito tranquilo, simpático, atencioso e preocupado com seu trabalho e a recepção do público. Além do Quarto Vivente, o Luciano participou da publicação Quatro Estações e da edição comemorativa Mônica(s). Baita ilustrador e um cara muito legal. Agora passou o FIQ, fiz uma pequena entrevista com ele sobre seus trabalhos e o mercado de quadrinhos.


P: Como tem sido a receptividade d’O Quarto Vivente?
Luciano SallesMuito boa, para não dizer excelente!Tenho recebido ótimas críticas e resenhas. Em quase todas as vendas que faço pelo meu bloguesaite Dimensão Limbo sempre recebo um feedback espontâneo do comprador. Acho isso demais de legal. É o fechamento perfeito do ciclo, Obra : Autor : Leitor. A receptividade no FIQ também foi demais.As lojas especializadas também tem sido muito receptivas para acolher minha revista.
P: Você acha que hoje o grande divulgador de Quadrinhos no Brasil é o Independente e não as editoras? Pergunto isso por 

Capa da frente

causa da FIQ. Eu não fui, mas pelo que vi nas fotos e no que o pessoal comentou pelas redes sociais, o FODA da FIQ foram os Independentes, os que publicaram por conta própria ou através de financiamento coletivo.

L.S.Sempre trabalhei de forma independente com os meus quadrinhos e, que não são muitos. Na realidade, são dois. A HQzine ‘Luzcia, a Dona do Boteco’ e agora, a HQ ‘O Quarto Vivente’. Agora, não acredito que um ou outro seja o grande divulgador. O mercado está para todos na mesma proporção. Sempre pensei assim. As ferramentas, como a internet, redes sociais, blogs, apps e outros milhões de formas para se divulgar seu trabalho, estão prontas e aguardando o seu trabalho. Acredito enfim, em trabalho. Minha próxima HQ, que devo lançar no final de 2014, já está com o roteiro pronto e já estou na terceira revisão. Quero trabalhar e muito bem, em cada página, quando começar a desenhá-la. Acredito piamente em uma fórmula simples e eficiente. Seu trabalho será valorizado se for feito com amor, dedicação diária, intensidade, verdade e dando as caras para bater. Uma editora terá acesso a alguns pontos de venda que ainda não consegui, a distribuição será muito melhor mas se eu, no conforto do meu estúdio, não me mexer, nada acontece. Trabalho muito e todos os dias. Independente da minha revista já ter vendido quase 500 unidades. Continuo firme e forte!

P: E vendo esse mercado independente crescer, você tem vontade de ver um livro seu publicado por uma editora, ou, ser chamado por uma editora para produzir um livro?

L.S.Seria uma experiência nova que teria que analisar. Os prós e contras. Não posso julgar ou falar sobre algo que nunca aconteceu. Com certeza, ouviria a proposta com carinho e iria procurar o melhor para a obra, para os meus leitores e também, é claro, para a Editora, que estaria bancando o livro. Sempre estou aberto a novas ideias, propostas e interesses.

P: O que falta no mercado independente para chegar no nível das editoras? (estou pensando em distribuição e renda. Já peguei algumas publicações independentes que foram lançadas na FIQ que estão pau a pau com edições lançadas por editoras, por exemplo a QUAD… ou o seu próprio Quarto Vivente…O Inspiração do Solano, etc.)

L.S.Eu acredito que a distribuição é o grande diferencial entre os independentes e as editoras. Para ser independente é necessário, antes de tudo, ter uma visão ampla do mercado, aprender a mexer com a logística da sua publicação, ter controle sobre vendas, pontos de vendas, parceiros, parcerias entre outras tantas coisas. Hoje, é possível um independente ter uma publicação tão boa quanto qualquer editora. A minha revista, por exemplo, foi impressa na mesma gráfica que são impressos alguns gibis da turma da Mônica. O atendimento foi excelente e eles entendem que o mercado independente está se estruturando.

P: Por fim, quais os planos para 2014?

L.S.: Já estou, como disse, com o roteiro da minha nova HQ pronto. Só estou fazendo uma terceira revisão, para dirimir continuidades e outros pontos. Também tomo bastante cuidado com o texto no roteiro. Mas, voltando a pergunta, meus planos para 2014, basicamente é, finalizar com a impressão dessa nova revista, trabalhar bastante com ilustração (que adoro) e divulgar muito a minha revista ‘O Quarto Vivente’. Fiz 2000 cópias e que pretendo vender todas.