Lançamento de Grand Prix Metanoia na Mondrian Ambiente

LANÇAMENTO DE GRAND PRIX METANOIA
Cheguei da Comic Con Experience (CCXP) na segunda-feira, às 21h, descansei um dia, fiz a ilustração da Folha de S.Paulo e comecei os preparatórios para fazer o lançamento da minha nova história em quadrinhos, em Araraquara. Como sempre enfatizo, a Mondrian Ambiente é minha apoiadora cultural para festivais de quadrinhos e como uma das contrapartidas, faço sempre o evento de lançamento das minhas novas HQ ali.

Além da contrapartida, a Mondrian é um local extremamente agradável, com uma cafeteria divina e muitas coisas realmente deliciosas que te convidam a passar ali, algumas boas horas de um dia. Para muito além disso, a Teresa e a Bela – proprietárias do local –, me acolheram desde que decidi viver pela minha arte ou seja, viver pelos quadrinhos.

Mesmo já tendo vendido metade de tiragem com o financiamento coletivo pelo Catarse e com a CCXP, o evento. Muitos amigos e amigas compareceram, e mesmo que já tivessem o gibi, passaram a tarde comigo, tomando vinho, trocando conversas com outros e outras. Enfim, foi um sábado extremamente agradável.

ILUSTRAÇÃO PARA A REVISTA LACUNA
Não me recordo a data em que fui convidado para fazer uma ilustração para a revista online de psicanálise, LACUNA. Sabia que entrariam em contato novamente para me avisar da data que deveria entregar o desenho.

Ilustração para a revista LACUNA por Luciano Salles

A proposta, desde o início, foi de uma ilustração onde eu representasse o significado da psicanálise para mim.

Bem, a coluna que ilustro na Folha de S.Paulo é escrita pelo Contardo Calligaris, psicanalista radicado no Brasil há mais de 20 anos. Contardo é italiano.

Além de ler e me interessar por algumas coisas dentro dessa vertente clínica, esses foram meus poucos contatos com a matéria em si.

Meu psiquiatra, que cuida de mim há 7 anos, já pediu várias vezes para eu fazer terapia, em especial com a citada. Não fiz; Ainda. Entretanto, fiz a ilustração (intitulada “Encharcô”) que foi contratada, dentro da proposta e do que entendo sobre.

Deixe seu comentário.

Um abraço.

Luciano Salles.

4 respostas
  1. Tânia Capel
    Tânia Capel says:

    Pirica!! Olhei para o desenho e fiquei tentando imaginar a água/sentimentos a pessoa nesse estado de “afundamento” (que pareceu raso! rs… na minha análise a água estava no pescoço)… Daí foram vários pensamentos… pq vc sempre sai do óbvio, né?! Agora, “Encharcô” foi uma sacada sensacional!!!! Como sempre, arrasando!! Beijos, sou sua fã!

    Responder
    • Luciano Salles
      Luciano Salles says:

      Oi, Tânia.
      “… na minha análise a água estaria até o pescoço”, dei risada com sua frase.
      Fiz o desenho bem simbólico. Sabe quando você entra em um lago ou rio onde não consegue ver o leito e mesmo assim vai entrando, devagar, passo por passo, até se despir? Mais ou menos isso.
      Muito obrigado por comentar por aqui.
      Beijo.

      Responder
  2. Liene Saddi
    Liene Saddi says:

    A luz da razão em paralelo à caminhada incerta, no terreno desconhecido do nosso inconsciente.

    Hoje mesmo lia o Aion do Jung comentando que o que não damos conta no consciente, individual e coletivamente, precisa ser simbolizado pra que não vire algo ameaçador. “Disso se encarregam os poetas e os profetas”, diz ele, e acho que em poeta entra o artista de forma geral. Lendo seu texto junto com sua imagem, fica a sensação de que a psicanálise já te encontrou por outras vias, Luciano.

    Forte abraço e um excelente final de ano.

    Responder
    • Luciano Salles
      Luciano Salles says:

      Oi, Liene. Tudo bem?

      Que lindo o que escreveu. Dê certa forma, trouxe certo alívio.
      Muito obrigado por acompanhar o blog.

      Beijo.

      Responder

Deixe uma resposta

Quer juntar-se a discussão?
Sinta-se livre para contribuir!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *