2020 e as ZERO páginas de quadrinhos que fiz

Olá, como tem passado?

Sim, o nome do post é o que aconteceu. Este ano não fiz, escrevi ou desenhei nenhuma página de uma (ou alguma) história em quadrinhos; provavelmente não farei.

Página de Grand Prix Metanoia,
publicada em 2019
Produzo quadrinhos ininterruptamente desde 2012. Tenho alguns amigos e amigas que são atletas (aqueles de alto rendimento) e para eles o descanso é tão importante quanto treinar forte para competir; precisam do repouso, do sono para a recuperação do corpo.

Não que precisasse descansar ou necessitasse de uma quietação. As coisas se organizam, o acaso se faz, os dias produzem mudanças. Só notamos o que está acontecendo se escutarmos o ruído – quase inaudível – que esse novo rebento emana. 

Alguns anos passados arrastaram para este 2020, específico estudo que ainda tenho muito para empenhar. Tudo isto, claro, para além das HQ.

Você pode se perguntar: foi por isso que você não fez nenhuma página de uma história em quadrinhos? A resposta é não. 

Não produzi pois não senti vontade de fazer, não tive ideia que se bastasse para me excitar a tanto. Penso sobre e fico feliz em perceber que não sofri com esta demanda.

Este post poderia facilmente pender para o assunto da minha saúde mental, que nunca fiz sigilo sobre e faço questão de não fazer justamente pelo fato de desmistificar o preconceito que pesa sobre tal condição. Este tema é caro para muitos e quem sabe fica para uma próxima postagem?

Depois destes poucos parágrafos ainda pode se perguntar: sim, ok, mas você vai produzir algo em breve? Alguma história em quadrinhos virá? Bem, optarei por itens para melhor explanação:

01. Quando perguntam sobre minha produção, enfatizo que minha última publicação pode ser meu último quadrinho;
02. Tenho ideias prontas e finalizadas para tomar forma mas, como disse, nenhuma me arrebatou para tanto;
03. Penso que no momento adequado, as páginas virão.

Afinal, por que produziria uma HQ apenas por produzir? Somente para emplacar mais uma publicação? Apenas para me sentir com a tarefa feita e esperar um A, parabéns!, quem sabe um B ou até um C+.

A leitura deste post pode conduzir para algumas interpretações ou ponderações precipitadas, entretanto, enfatizo que não estou deprimido, infeliz com minha profissão ou coisa assim. É apenas o momento de me dedicar o que venho fazendo e que em determinado momento, abrirei para você, leitor(a) deste blog.

Fique à vontade para comentar pois assim que puder, responderei.

Um abraço.

Luciano Salles.

Postagens mais visitadas deste blog

A angústia de um quadrinista da série C

Acionei meu plano B: sendo quadrinista e ilustrador, recomendo ter estratégias nas mangas

10 dicas de como precificar sua arte original ou como devo cobrar por uma "commission"?