Algo diferente do que sempre faço

Dê um raro estudo para um Superman
Olá, como vai?

Fiz uma postagem no Instagram e desenvolvi ali, um rápido e curto texto, sobre o desenho que publicava. A tentativa era fazer o perfil de um rosto com o mínimo possível de linhas na tentativa de manter o meu traço. Desenhei rapidamente a cabeça e como parecia conhecer aquela pessoa, resolvi colocar um heróico topete e estava revelado que havia rabiscado o rosto do Clark Kent.

Insiro aqui o texto que fiz no Instagram (aliás, se ainda não segue minha conta no IG, convido a segui-la):
"Estudo pouco desenho; praticamente nada. Tudo o que faço é por demanda e não me considero um preguiçoso por isso. 
Você então pode se perguntar se eu me pergunto se deveria estudar mais. 
Eu não faço essa pergunta.
O desenho é, e sempre foi, intuitivo pra mim (não quero dizer fácil) e não me gabo por isso. Acho que desenho porque observo as coisas com atenção. Não tenho uma memória fotográfica, mas procuro entender, por exemplo, quando coloco o macarrão na água quente, como ele vai entrando, caindo na água que ferve e borbulha e engloba cada “penne” ainda duro e sendo atropelado pelo outro que vem escorregando no tobogã que virou o saco plástico que guardava todo conteúdo. Eu observo. 
Adoro estudar e estudo muito outros assuntos para além dos desenhos; venho estudando determinado tema que tomou minha alma desde 2014.
Sobre esse Superman?
Não era um Superman, era um estudo. Um dos poucos estudos onde queria o mínimo de linhas para as formas, mas ainda, dentro do meu traço. 
Acho que vou desenvolver esse texto de uma forma mais fluida no meu blog."

Dê um raro estudo para um Superman (lápis)
Seguindo, continuei o tronco no mesmo objetivo das poucas linhas e então revelou-se um Superman, desenhado de forma (muito) diferente do que faço normalmente e sem a pretensão de ter o kriptoniano ali.

O objetivo do desenho começou como um estudo e discorri sobre isso na postagem referida no primeiro parágrafo. Gostei do resultado somente no lápis e decidi, sem arte-finalizar a peça, inserir cores; tudo de um modo não costumo fazer, o que é um grande desafio para mim. Costumo ser bastante fiel as minhas escolhas e daí a dificuldade.

O campo para os comentários estão sempre abertos para você interagir, opinar, questionar. Responderei tão breve quanto conseguir.

Um abraço.

Luciano Salles

Postagens mais visitadas deste blog

A angústia de um quadrinista da série C

Acionei meu plano B: sendo quadrinista e ilustrador, recomendo ter estratégias nas mangas

10 dicas de como precificar sua arte original ou como devo cobrar por uma "commission"?