Luciano Salles é quadrinista e ilustrador da Folha de S.Paulo.
Autor da histórias em quadrinhos EUDAIMONIA (2017, Publicação independente/Catarse), Limiar: Dark Matter (2015, Publicação independente), L’Amour: 12 oz (2014, Editora MINO), O Quarto Vivente (2013, Publicação independente) e da HQzine Luzcia, a Dona do Boteco (2012, Publicação independente).
Contato: lucianosalles@dimensaolimbo.com

19.5.19

Oficina de criação de personagem na Fundação CASA

"Reimo" foi um dos personagens criados
no encontro. Foto cedida pela instituiçao.
Olá, tudo bem com você?

No dia 10 de maio, dei uma aula de desenho e criação de personagens na Fundação CASA (Centro de Atendimento Socioeducativo ao Adolescente) que, antigamente, tinha o nome de FEBEM.

ADENDO: devido às normas da instituição, fotos dos internos não são permitidas e por isso, para ilustrar a postagem, usei um desenho resultante da oficina.

Estava com tudo preparado. A apresentação para projeção, exercícios práticos, exercícios para reflexão e expansão da percepção, folhas de sulfite, lápis e tudo mais para boas horas de trabalho.

Era hora de ir para a Fundação Casa.

Como disse, estava com tudo preparado em minha mochila mas, a partir do momento que olhei a porta de entrada da Fundação, percebi que não estaria apto para o que encontraria.

Passando a primeira porta, recebi uma revista de praxe em uma sala minúscula com apenas um banco de alvenaria. Dali seguimos por um caminho tranquilo e entramos em um prédio que mais parecia uma escola. Um corredor com salas nas laterais.

Ao final do corredor viramos a esquerda, andando um pouco mais e saímos dessa área; paramos em frente a uma porta de barras de ferro de aproximadamente 4 cm de diâmetro. Entramos por ali e ficamos enclausurados entre essa porta e outra totalmente fechada com apenas um pequeno vidro escuro. Avisaram que era a funcionária "Juliana" com o rapaz que daria o curso de desenho. Nossa passagem foi liberada.

A sensação e sentimentos que tive foram de apequenar minha existência. Fiquei angustiado com aqueles muros de mais de 4 ou 5 metros de altura além de metros e metros de concertinas. Antes deste muro ainda havia um gradil muito alto.

Ela me levou onde aconteceria a aula e começamos a montar o projetor quando um menino apareceu na porta. Era um interno. Uma criança.

Percebi que para os funcionários, aquele é um ambiente normal de trabalho e a situação passa a ser rotineira e, de certa forma, comum. Qualquer pessoa que trabalhe em um local de reclusão de pessoas se acostuma com o ambiente assim como nos acostumamos a trabalhos em bancos, contando muito dinheiro que não é nosso, ou qualquer outro lugar de trabalho.

Os meninos iam entrando e a turma se formou com 12 garotos entre 15 e 18 anos. Entre os que estavam diretamente envolvidos na oficina (eu e a garotada reclusa), eu era o único branco.

As duas horas e trinta minutos passaram num piscar de olhos e a oficina foi fantástica com um resultado incrível! Fechamos a oficina, fizemos uma foto muito legal de toda turma, nos despedimos com abraços e voltei para o meu estúdio.

Ainda penso muito sobre essa oportunidade incrível que tive.

Ainda penso muito naqueles muros e concertinas.

Ainda penso muito em como meninos entram e saem em um fluxo quase que "natural" pela instituição.

Ainda penso muito que nascer aqui ou ali, determina, em grandes percentuais, sua passagem por um centro de reclusão e ressocialização.

Ainda penso muito.

Um abraço.

Luciano Salles.

14.5.19

10 dicas de como precificar sua arte original ou como devo cobrar por uma "commission"?

Commission do Batman por Luciano Salles
Olá, tudo bem?

Sempre recebo perguntas e mensagens de outros artistas indagando como faço para precificar meus desenhos originais e esse é o motivo do novo post: como chegar ao valor de venda de uma arte original sua?

Acho ideal enfatizar que o valor para venda de uma peça artística é totalmente subjetivo.

Montarei a estrutura do texto através de parâmetros de como faço para chegar ao valor final e que passo ao interessado pela compra da arte.

Farei uma lista com itens e você poderá (se algum lhe for útil) tentar precificar seu trabalho para venda.

Então, vamos lá!

01. Em toda encomenda de um desenho ou commission, sempre defino que o trabalho terá o tamanho de um papel A3 (29,7 x 42cm). Esse é um tamanho confortável para eu desenhar;

02. A encomenda parte de um personagem com fundo mínimo e o valor fica em 100 dinheiros (vou tomar esse valor como exemplo);

03. Se o contratante achar caro, ofereço o mesmo desenho em tamanho A4 (21 x 29,7cm) por um valor de 50 dinheiros;

04. Parametrizo meus valores tentando deixar equivalente a artistas que considero que estejam no mesmo patamar de qualidade dos meus trabalhos;

05. Se o contratante quiser a encomenda com um personagem principal e deseja incluir outro, esse custo extra é adicionado em 30%.
Acompanhe:
– o contratante quer um desenho do Batman em tamanho A3 porém quer também que o Superman esteja presente na arte. O custo ficaria em 100 dinheiros pelo desenho do Batman no papel de tamanho 29,7 x 42 cm mais 30 dinheiros pela inclusão do Superman, totalizando 130 dinheiros.

06. Esse original será arte-finalizado em nanquim, com um fundo mínimo para composição da cena e se necessário (para melhor acabamento) uma aguada de nanquim ou mesmo o uso de um marcador de boa qualidade. 

07. Falando em boa qualidade, sempre use um excelente papel, de boa gramatura e que se sustente por um bom tempo sem amarelar. Geralmente os que tem algum percentual de algodão na confecção são os melhores para isso. Eu uso papel da marca Winsor & Newton, com gramatura 250g/m². 

08. Estude bastante antes de "chutar" um valor qualquer. Desta forma você estará agregando valor ao seu desenho e trabalho, colocando um preço justo pelas horas debruçadas e que terá de empenhar na peça e, principalmente, não desvalorizará o trabalho de outros artistas que estejam no mesmo patamar que você se encontra.

09. Sobre patamares: não posso cobrar por uma arte original o mesmo valor que o Frank Miller cobra. Na realidade até posso fazer isso porém não venderei nenhuma peça! Não devo cobrar o valor que o Rafael Albuquerque cobra por um desenho original. O capital social desses "monstros" no meio dos quadrinhos é infinitamente maior que o meu capital social neste mesmo meio.

10. Honre seus prazos!

Se quiser adquirir um desenho original meu é só entrar em contato pelo e-mail lucianosalles@dimensaolimbo.com ou visitar minha loja online (aqui mesmo no blog) que sempre tem alguma peça para vender.

Um abraço.

Luciano Salles.

5.5.19

Mickey feio e quadrinho para a Folha de S.Paulo

Olá, tudo bem?

Vamos para dois assuntos em um único post: 

#mickeyfeio #mickeyfeio2019 por Luciano Salles
#mickeyfeio
Pelo que pesquisei, essa é a sétima edição do Concurso Mundial Mickey Feio que foi idealizado pelos designers pernambucanos Stuart Marcelo e Cecília Torres. Eu não conhecia esse "concurso" mas vi a hashtag e fiquei com vontade de fazer um Mickey feio.

Fiz o desenho, liguei o computador, abri o Photoshop e fiz as cores em, no máximo, 10 ou 12 minutos. Deveria ter cronometrado pois acredito que nem deu tudo isso de tempo e esse fato me levou a uma séria reflexão: "por que diabos esse não é meu traço? Faria tudo 20 vezes mais rápido!"

Quadrinho para a Folha de S.Paulo.
Na última quinta-feira, como de costume, ilustrei a coluna do Contardo Calligaris de uma forma narrativa. 

Não gostei tanto do trabalho publicado devido a inúmeros motivos; não é nenhuma ideia original, não fiquei contente com minha arte-final e alguns outros que não vem ao caso.

Mandei um e-mail para o Contardo revelando esses sentimentos quanto a ilustração (abusei do meu colega psicanalista) e para minha surpresa, ele havia gostado. Fiquei mais aliviado.
Ilustração para o jornal Folha de S.Paulo por Luciano Salles
Como ilustrador, sempre me proponho a cavar algo que ficou implícito no texto e por esse viés, a ilustração foi acertada.

Deixe seus comentários!

Um abraço.

Luciano Salles.

26.4.19

E você, já errou? Eu acabei de errar legal.

Commission por Luciano Salles
Olá, tudo bem?

No meio de fevereiro recebi um pedido de commission (termo utilizado para a encomenda e compra de um trabalho original e exclusivo), de um cidadão norte-americano que reside especificamente no estado da California.

Todos os processo formais formam feitos, fiz o desenho com o tema que ele queria e enviei para o endereço indicado.

O comprador recebeu o trabalho e de forma educada e pragmática como os americanos são, disse que amou o desenho mas enfatizou estar um pouco confuso quanto ao tamanho do trabalho. 

ELE TINHA RAZÃO! Eu recebi a encomenda em formato A3 e, simplesmente, fiz a arte no formato A4. Não sei o que me levou a isso! Onde eu estava com minha cabeça durante todo o tempo que fiz o desenho? Por qual motivo não revisei nossas trocas de mensagens antes de confirmar o tamanho da encomenda?

Sinceramente? Não sei...

Fui educado pelos meus pais a assumir qualquer erro que tivesse cometido e vou confessar que errei muito! Se errou, assuma, diziam eles. Faça um sincero pedido de desculpas e repare o erro o quanto antes.

Foi o que fiz. Pedi desculpas pelo ocorrido. Expliquei que não entendi o que me motivou a fazer o desenho no tamanho errado e que estava claro que a arte deveria ser em tamanho A3. Aliás, um detalhe importante: eu cobrei o valor por uma arte no tamanho A4 então estou ciente também do prejuízo financeiro que terei (meu tempo desenhando, o custo da postagem, papel, tintas, embalagem e correios).

Entretanto erros acontecem e hoje começo o novo desenho para o californiano e que tanto aprecia meus trabalhos.

Um adendo: enfatizo que a instituição financeira que trabalhei, principalmente onde comecei (Banco Real), tinha uma política de que erros acontecem, devem ser entendidos, não repetidos e reparados de forma rápida e sem custos para o cliente.

Retrabalho é chato mas estou fazendo como se fosse a primeira encomenda. Aliás, vou fazer um desenho totalmente diferente do que está ilustrando o post.

E você? Já errou "gostoso" assim?

Deixe suas cagadas nos comentários e vamos nos consolando...

Um abraço.

Luciano Salles.

18.4.19

Como acertar as cores para impressão?

Ilustração para a coluna do Contardo Calligaris na Ilustrada da Folha de S.Paulo
Foto da qualidade da impressão com essa
escolha de cores
Olá, tudo bem?

Não tenho uma resposta exata para a pergunta que dá nome ao post e, principalmente, quando a impressão será feita para um jornal. Não entendo sobre impressão gráfica, não tenho um traquejo em cores e faço tudo o que faço, basicamente, no instinto. Você pode se perguntar: isso é bom? Claro que não!

Sempre defendo para quem se pretende ser um desenhista, ilustrador ou quadrinista, que faça um curso de desenho, de cores, perspectiva e tudo mais o que puder aprender. Não tive essa oportunidade devido aos caminhos que escolhi (e não me arrependo) porém, sinto falta de algumas ou bastantes orientações.

Digo isso pois é sempre uma dificuldade acertar as cores das ilustrações que envio para a Folha de S.Paulo. 

A ilustração dessa semana ficou fantástica na impressão do jornal porém, a da semana passada, não ficou exatamente como eu esperava que ficasse. O problema não é da impressão do jornal e sim das escolhas das cores e suas variáveis dentro do espectro CMYK. 

Na próxima semana entrarei em contato com uma pessoa na Folha que entende muito sobre processo de impressão e tratamento de imagens no jornal.

Assim que tiver maiores informações sobre o que aprender e o que me for passado, um novo post com informações precisas será feito.

Um abraço!

Luciano Salles.

16.4.19

A dificuldade que encontro para produzir minha nova HQ

Olá, tudo bem?

Ontem fiz uma thread em minha conta do Twitter sobre a dificuldade que encontro para produzir minha nova HQ. Vou replicar aqui:


Queria muito ter um boa notícia ou um post melhor para fazer mas por enquanto é isso.

Um abraço.

Luciano Salles.

11.4.19

Bacante para a coluna do Contardo Calligaris na Folha de S.Paulo

Ilustração para a coluna do Contardo Calligaris para o jornal Folha de S.Paulo
Print da Folha de S.Paulo online
Olá, tudo bem com você?

Durante 8 meses ilustrei a coluna do Daniel Furlan na Folha de S.Paulo. Depois desse tempo, a minha super editora fez o convite para uma nova parceria com o dramaturgo, escritor e psicanalista, Contardo Calligaris.

Fiquei encantado com o convite por vários motivos: já fui assinante da Folha do S.Paulo (quando nem em sonho imaginava trabalhar profissionalmente com meus desenhos) e uma das colunas que lia era a dele; por inúmeras vezes ouvi o Contardo falando na TV, dando entrevistas ou conduzindo algumas aulas em outros momentos e sempre como um ouvinte atento as palavras deste italiano radicado no Brasil há duas décadas.

Dois parágrafos foram necessários para a abertura deste post intitulado Bacante; Fiquei entorpecido quando recebi o texto (ainda bruto) do Contardo. Quase como um ensaio, as palavras fluem por assuntos que, de tal modo, tudo se encaixa e, por vezes, uma segunda leitura (no meu caso) se faz necessária.

A ilustração emanou a partir desta segunda passada de olhos pelo texto. O desenho tinha que ter 4 (quatro) tranças sendo puxadas sem que o leitor não tenha a visão de quem as estirava. Além disso, precisava distorcer muito a imagem que faria. Queria o limite da dor no prazer ou do prazer na dor.

Sketch "podrera"
Pé da minha esposa Lilian como referência









Enquanto pensava na ilustração, recebi um e-mail do Contardo, onde anexava um arquivo em .PDF com algumas imagens de uma exposição com telas da artista Regina Parra. Lendo o e-mail (sempre carinhoso), percebi que estava no caminho certo.

Por aqui termino com um curto vídeo onde passo nanquim nas tranças.



Grande abraço.

Luciano Salles.

1.4.19

Naruto

Naruto por Luciano Salles
Olá, tudo bem?

Acredito que essa tenha sido a encomenda de trabalho que mais tive o prazer em fazer. Vou explicar o motivo. 

Eu nunca havia lido Naruto, nem assistido o anime. Então, uma amiga recente que faz aula de Yoga no mesmo horário que pratico, soube que sou desenhista e perguntou se eu faria algum tipo de desenho encomendado. Me contou que o namorado dela é fascinado pelo Naruto e que queria dar um desenho original do personagem de presente de aniversário.

Passei o valor do trabalho e assim que ela topou, comecei assistir os animes na Netflix. Bem, adorei o que vi, fiz a commission (esse é o termo em inglês que usam para uma encomenda de arte original) e agora não consigo parar de assistir a série.

Entreguei o trabalho, ela presenteou seu namorado e disse que ele ficou tão feliz com o presente que ela se emocionou.

Ela me agradeceu e no sábado que passou, encontrei o casal em um festa. Fui apresentado por ela para o parceiro que agradeceu e disse que ficou encantado com a arte. Penso que um artista é alimentado por esses sentimentos e que precisamos disso.
Naruto por Luciano Salles
Sketch podrera por Luciano Salles




















Em todo desenho que faço empenho muito carinho, procuro melhorar continuamente meus traços com real envolvimento e diversão. Obrigado pela oportunidade, minha amiga Roberta.

Fique a vontade para deixar seu comentário.

Grande abraço.

Luciano Salles.

31.3.19

HQ para a Folha de S.Paulo: "O que está em jogo na visita de Bolsonaro a Israel?"

O que está em jogo na visita de Bolsonaro a Israel? por Luciano Salles
Olá, tudo bem com você?

Na edição de hoje da Folha de S.Paulo, você pode ver meu trabalho no caderno Mundo. O que foi legal em toda essa empreitada é que tive a liberdade para fazer o roteiro do "quadrinho". 

A proposta era produzir uma história em quadrinhos retratando a "vontade" do Presidente Bolsonaro em mudar a localização da embaixada do Brasil em Israel. A troca seria da cidade de Tel Aviv para Jerusalém, assim como já fez o presidente dos Estados Unidos, Donald Trump.

Recebi a pauta na quinta-feira de tarde com o prazo para entrega na sexta-feira à noite.

Não sei se reparou mas no primeiro parágrafo, coloquei a palavra quadrinho entres aspas pois montar o roteiro de uma HQ (de uma página) que contém tantas informações e viéses é, definitivamente, um desafio.

Não há espaço para a dinâmica que uma HQ necessita e assim fiz (com o apoio do repórter Daigo Suzuki) um compilado dos melhores pontos tendo a tarefa de ligar cada situação.

Fazer um quadrinho na capa do caderno Mundo, em jornal com o alcance que tem a Folha de S.Paulo é uma tremenda responsabilidade.

São quase 50 mil exemplares com uma HQ logo na cara em um espaço importante do periódico. Alguns pensamentos ecoaram depois de entregar os arquivos:

– Quantas pessoas que nunca leram ou não tem o costume de ler um gibi, uma sequência narrativa com texto e imagens e, de supetão, folheando o jornal, se interessam pela página?
– Quantas pessoas podem gostar do que viram e, de repente, bate aquela nostalgia de comprar um gibi na banca?
– E se uma criança que gosta de desenhar olha aquilo e ficar fascinada com a opção de ler uma história interagindo com imagens?

Por Luciano Salles
E principalmente:

– Como fazer os desenhos serem facilmente assimilados devido a restrição de espaço, excesso de conteúdo que a própria ocasião gera e aberto para todo tipo de público? Quem lerá será um(a) operário(a), um(a) professor(a), um(a) juiz, simpatizantes e não simpatizante ao Presidente, pessoas que entendem de geopolítica, enfim, uma diversidade fantástica!

É um desafio fazer algo que seja didático e também, de certa forma, nada como costumo fazer em minhas histórias. Essas são questões que sempre surgirão.

Espero que tenha gostado do conteúdo da postagem e deixe seu comentário.

Um abraço.

Luciano Salles.

28.3.19

Ilustrações de fevereiro e março para o jornal Folha de S.Paulo

Oi, tudo bem?

Se você acompanha o blog, já sabe que ilustrei a coluna do Daniel Furlan de agosto e 2018 até março 2019. A notícia de não continuar a desenhando para a coluna foi, com certeza, uma notícia triste para mim.

Continuo ilustrando para a Folha de S.Paulo e agora estou desenvolvendo um novo trabalho (e um grande desafio pessoal) para o jornal.

Enfim, seguem as ilustrações de fevereiro e março de 2019 para a coluna da Ilustrada.
Ilustrações para o jornal Folha de S.Paulo
Ilustrações para o jornal Folha de S.Paulo
Fico por aqui.

Um grande abraço!

Luciano Salles.

25.3.19

Minha última ilustração para a coluna do Daniel Furlan

Ilustração para a coluna do Daniel
Furlan
, na Folha de S.Paulo.
Olá, tudo bem com você?

Nessa segunda-feira, publico minha última ilustração para a coluna do Daniel Furlan na Folha de S.Paulo. Continuo ilustrando para o jornal com apoio irrestrito da minha super editora.

Foram 8 meses de parceira entre agosto de 2018 até 25/03/2019. Reconheço que gostava muito de fazer as ilustrações para os textos, mas tudo tem um início e um término. O importante é que continuo a ilustrar com alguns novos desafios solicitados pelo jornal.

Agradeço imensamente as inúmeras mensagens de leitores e as pessoas que gostavam do trabalho que fazia na coluna. Agradeço a minha editora por montar esse time com o Furlan. Agradeço ao Daniel pela parceria nestes 8 (oito) meses de colaboração. Estou triste, mas grato pela oportunidade que me concederam. Muito obrigado.

Esse é o link para a leitura da coluna: https://goo.gl/LQ6VaE

Um abraço.

Luciano Salles.


Compre agora EUDAIMONIA, minha última publicação em quadrinhos que teve 3 (três) indicações para o troféu HQMIX! Sua HQ chegará autografada e com dedicatória.

15.3.19

Duplo, eu [novidade 02]

Miniférias
Olá, tudo bem?

Da primeira postagem sobre minha nova HQ – Duplo, eu [novidades 01] – pouco fiz até então. Alguns trabalhos encomendados, alguns dias atribulados e uma miniférias de 3 dias na Serra da Canastra, resultaram em somente duas páginas desenhadas.

De volta aos trabalhos, reenergizado por montanhas e cachoeiras, agora o foco é intenso na HQ!

Vamos as [novidades 02]:

07. Pretendo desenhar todas as páginas em 6 meses;
08. O Catarse por assinatura ainda é uma ideia que preciso estudar um pouco mais e logo defino se farei ou não;
09. Se decidir pelo Catarse por assinatura, ele vai durar somente 6 meses ou o tempo que levar para desenhar a revista. Se desenhar tudo em cinco meses, vai durar somente cinco meses;
10. A revista terá quase 80 páginas porém, quero que o preço fique entre R$20,00 e R$30,00.

Se ainda não tem meu último lançamento aqui está o link para adquiri-lo. É só clicar na imagem. Sempre envio a revista assinada com dedicatória!


Muito obrigado por acompanhar o blog e seu comentário é sempre bem vindo e será respondido. Por enquanto é isso. Agora é desenhar, desenhar e desenhar!

Um abraço.

Luciano Salles.

5.3.19

Que viagem!

Ilustração de 04/03/2019 para
a Ilustrada, por Luciano Salles.
Olá. Tudo bem com você?

Sabe, eu ilustro para o jornal Folha de S.Paulo desde 2015.

Comecei fazendo ilustrações esporádicas, ou de forma "freelance", como é denominado – infelizmente – na linguagem falada (não gosto e evito usar termos em inglês para palavras tão bonitas da língua portuguesa mas é claro que muitas vezes falho).

Retrocedendo para o meio dos anos 80, sempre adorava ler e recortar as tirinhas do Laerte, Angeli, e Fernando Gonzales que eram publicadas no caderno de cultura Ilustrada da Folha e S.Paulo além de algumas ilustrações que me encantavam pelo jornal. Guardava tudo em uma pasta verde de elásticos, junto da minha honrada "coleção" de uma dezena de gibis. Deixava tudo exposto, decorando, uma peça que havia no quarto. Tudo isso em Araraquara.

Hoje, quase 35 anos depois, ilustro semanalmente para o mesmo jornal em uma coluna assinada pelo ator Daniel Furlan. Eu nunca imaginei, nem em sonho, que isso poderia ser possível. Até porque, era algo tão distante da minha realidade que jamais tive a intensão de trabalhar com meus desenhos.

O que fazia eram desenhos diários mas sem vínculos com nada. Se estivesse com vontade de desenhar a cadeira da cozinha, desenhava. Se estivesse com vontade de desenhar um bode com tetas, desenhava. Se fosse a vez do homem-Aranha, desenhava.

Matéria com meu trabalho na
Folha Ilustrada.
Desde de então, uma ou duas vidas se passaram, até que um dia, saiu uma reportagem sobre meu trabalho como quadrinista, naquele mesmo caderno de cultura, do mesmo jornal, que eu recortava as tirinhas. Aquilo já foi estranho demais para mim. Quem assinou a matéria foi o camarada, Télio Navega.

Como se não bastasse, um grande amigo e fotografo chamado Mastrangelo Reino, organizou um evento onde haveria exposições de fotos, música ao vivo e uma oficina de diagramação em jornal. O que me interessou para ir ao evento foi essa tal oficina. Sinto uma enorme dificuldade em diagramar qualquer coisa e pensei que, mesmo que fosse sobre diagramação em jornal, de alguma forma seria extremamente útil.

Cheguei com antecedência de umas duas horas do horário da oficina e de repente, quem iria ministrar o curso sobre diagramação era a pessoa que havia montado aquela mesma reportagem comigo na Ilustrada (essa da imagem ao lado). Ela me reconheceu e disse que havia trabalhado na matéria sobre meu trabalho com quadrinista.

A partir de então, o papo e a afinadade aconteceram. Como sempre ando com meus quadrinhos em minha mochila, ela ficou com um exemplar de O Quarto Vivente e de L'Amour: 12 oz. Folheou as revistas e me perguntou (ali mesmo) se eu desejava ilustrar esporadicamente para o caderno de cultura Ilustrada do jornal Folha de S.Paulo (aquele mesmo que eu fazia os recortes).

A Thea era a editora de arte do caderno.
Foto da oficina sobre diagramação. Não tenho os créditos
para a foto.

Após a oficina, fomos almoçar juntos no Frios da 7, um restaurantinho com uma comida bem caseira e sempre deliciosa, bem próximo ao evento.

Desde esse dia, eu nunca mais vi fisicamente a Thea, minha editora. Sempre nos falamos mas nunca nos vemos.

Um dia (ainda esse ano) vou para São Paulo me encontrar com ela, conhecer a redação do jornal e agradecer pessoalmente a oportunidade que ela me concedeu.

Um abraço.

Luciano Salles.

1.3.19

Arte para um rótulo de cerveja premiada!

Jessye N. para o rótulo da cerveja "Opera Jessye N." por Luciano Salles
Olá, tudo bem?

Ano passado fui contratado para fazer a arte de um rótulo para a cervejaria Ópera.

A bebida de nome Opera Jessye N, em homenagem a soprano estado-unidense, Jessye Mae Norman, uma da mais admiradas cantoras contemporâneas de ópera, acabou de ser lançada e faturou o prêmio de melhor IPA sul-americana.
Rótulo finalizado, aprovado e com as especificações para a ce

Após ouvir e assistir ela cantando, fiquei encantado com o perfil eolhos de Jessye, isso é claro, sem contar sua voz. Como não costumo ouvir ópera então, não conhecia a cantora.

Fiz o desenho para o rótulo e não economizei no espaço mesmo sabendo das inúmeras e inúmeras especificações necessárias que a estampa da bebida deve trazer. Deixei o "problema" para a RIMA design, da minha talentosíssima amiga, Marina Amaral, resolver.

O rótulo ficou perfeito, a cerveja ficou pronta e já levou um prêmio (terceiro lugar) como melhor IPA das Américas.
Imagem fornecida pela RIMA.

Para quem se interessa por questões técnicas, seguem as especificações que a cervejaria forneceu para eu inserir e deixar o post mais legal:
Imagem cedida pela cervejaria Ópera.

Nome: Opera Jessye N.
Estilo: BLACK IPA
ABV: 5,5%
IBU: 60

Descritivo breve:  Jessye N. Black IPA é nossa homenagem à cantora lírica Americana, homônima, de voz ímpar e presença marcante!  Essa black India vai te surpreender com um trio bacana no DRY HOP: CITRA, ELLA e MOSAIC, ficou interessante. Água muito bem filtrada e corrigida de sais, ficou uma pegada suave, valorizou o crisp final, mantendo um drinkability interessante. Fermento americano WLP 001 foi a bola da vez, com uma fermentação limpa, só resta sentir os aromas frutados dessa trinca de lúpulos! Saúde!

Lúpulos: Chinook, Centennial na fervura e late hopping; Citra, Mosaic e Ella no dry hop.

Harmonização:  Comida condimentada, linguiças, Hamburgueres e queijos.

Ainda não provei a cerveja mas, logo em breve, haverá um evento de lançamento com uma sessão de autógrafos na Cervejaria Ópera. Estarei lá rabiscando rótulos!

Não sou grande fã de cerveja mas essa quero experimentar legal.

Um abraço!

Luciano Salles.

19.2.19

Duplo, eu [novidades 01]

"Duplo, Eu" é a nova história em quadrinhos de Luciano Salles com lançamento para 2019
Olá, tudo bem com você?

Hoje começo as postagens sobre a produção de "Duplo, eu", minha nova história em quadrinhos que será publicada no segundo semestre de 2019. 

Como todas as coisas que começam, não tenho muitas respostas sobre o que pode acontecer até a data de lançamento do quadrinho e isso é o que menos importa! O que prefiro destacar é que hoje também, começo os desenhos da primeira página da HQ e a partir daqui será um trabalho árduo, intenso e com extrema dedicação em cada linha traçada.

Esse mesmo empenho já foi dedicado ao roteiro (o mais difícil que escrevi) e que neste exato momento, está sendo revisado por um excelente profissional do ramo. Aliás, o revisor, conhecido no sistema solar como Audaci Junior, é também, de certa forma, um co-editor da revista pois a cada trica de páginas finalizadas, envio para ele fazer uma segunda revisão nos balões inseridos e dar uma boa olhada no que está saindo.

Então vamos para as [novidades 01]:

01. O título será Duplo, eu.
02. Ainda não decidi como será a diagramação mas a fonte será a que ilustra o post;
03. A princípio, a HQ teria 32 páginas, exatamente igual a EUDAIMONIA, publicada em 06 de dezembro de 2017;
04. O roteiro se estendeu e a revista impressa ultrapassará 80 páginas;
05. Farei o financiamento coletivo, através da plataforma do Catarse, para imprimir a HQ;
06. Tenho pensado em, durante o período em que produzo a HQ, criar um Catarse Assinaturas para me ajudar a ficar mais focado em produzir as páginas. Isso ainda é um projeto que está rodando em minha mente e que tem grande possibilidades de acontecer;

Momento auto-divulgação 😉
Você já tem seu exemplar de EUDAIMONIA? Com lançamento na Comic Con Experience de 2017, EUDAIMONIA foi indicada em três categorias no troféu HQMIX, o prêmio mais importante dos quadrinhos no Brasil. Adquira seu exemplar agora clicando no link abaixo.



É isso!
Logo mais faço novas postagens atualizando a produção de "Duplo, eu".

Seu comentário é sempre muito bem vindo!

Um abraço.

Luciano Salles.

10.2.19

Oficina de desenho e ilustração no SESC Ribeirão Preto foi fantástica!

Oficina de desenho e ilustração no SESC Ribeirão Preto em 09/02/2019
Olá, tudo bem?

No dia 09/02/2019, coordenei uma oficina de desenho e ilustração no SESC Ribeirão Preto e foi sensacional.

Com uma turma incrível, eclética e totalmente interessada na oficina, esse trabalho foi o melhor que já puder fazer pelos SESCs.

Infelizmente, muitas outras pessoas ficaram de fora e não puderam participar da oficina de acordo com a capacidade que definimos para o tamanho do grupo.

Quem sabe o SESC não decide contratar novamente o curso de ilustração e desenho?

Um detalhe interessante é que percebi que os "oficineiros" estavam por demais ansiosos, terminando os exercícios propostos na metade do tempo previsto ou menos. A sequência de exercícios são montadas de forma que o(a) participante vai imergindo na experiência do curso, entretanto, eu ainda notava que a maioria estava em um estado mais "aéreo".

No intervalo do almoço decidi aplicar um exercício respiratório tradicional para quem pratica Yoga. Chama-se "respiratório quadrado" e é muito eficaz para deixar as pessoas mais aterradas e foi o que aconteceu. Funcionou muito bem e a oficina continuou de forma excelente.

Insiro abaixo algumas fotos e você pode ficar a vontade para deixar perguntas nos comentários.

Um abraço!

Luciano Salles.
Um pequeno exercício respiratório (pranayama) dentro da
oficina de 
desenho e ilustração no SESC Ribeirão Preto
em 09/02/2019

Oficina de desenho e ilustração no SESC Ribeirão Preto
em 09/02/2019






























Oficina de desenho e ilustração no SESC Ribeirão Preto em 09/02/2019


4.2.19

Fim de férias da coluna do Daniel Furlan na Folha de S.Paulo

Olá!

A coluna do Daniel Furlan, que ilustro semanalmente para o jornal a Folha de S.Paulo, estava em recesso.

A coluna estava em férias, o Furlan estava em férias e eu não, pois trabalhei em uma encomenda de 12 ilustrações bem legais (e que ainda neste mês divulgo aqui no blog) e no roteiro de Duplo, eu, minha nova história em quadrinhos que será publicada no segundo semestre de 2019.

A ilustração ao lado direito é a que foi publicada mas se perceber, notará que para o jornal, eu prefiro deixar as linhas de contorno pretas.

Por experiência, notei que desta forma os trabalhos são melhores impressos. Deixo aqui as duas versões para comparar, o link da versão online ou, se for comprar o impresso para ler a coluna ou mesmo só para ir à banca, poderá conferir essa diferença gráfica.

E você? Prefere com as linhas coloridas ou todas pretas?

Um abraço!

Luciano Salles.
Ilustração para Folha de S.Paulo com as linhas
de contorno em cores diferentes.
Ilustração para Folha de S.Paulo com as linhas
de contorno em preto.

3.2.19

Oficina de desenho e ilustração no SESC Ribeirão Preto

Olá, tudo bem?

No próximo Sábado, dia 09 de fevereiro de 2019, coordeno uma oficina de desenho e ilustração que acontecerá no SESC Ribeirão Preto.

A oficina será de apenas um dia, somente para 14 pessoas, e acontecerá em dois horários que os oficineiros devem cumprir:
– das 10h às 12h;
– das 13h30 às 15h30;

Inscrições na unidade ou pelo telefone (16) 3977 4477. Ressaltando que serão apenas 14 vagas, a partir de 16 anos.

OBSERVAÇÃO: na divulgação aconteceu o erro em dizer "14 vagas por horário". A carga horária da oficina são de 4 horas, divididas em dois períodos: matutino e vespertino.

Reserve seu lugar e nos vemos no próximo sábado.

Um abraço.

Luciano Salles.

28.1.19

12 jogos de videogame

#Venom, imagem retirada do meu Instagram Luciano Salles
Olá, tudo bem?

Um dos meus apoiadores culturais desde 2013, é a World Game. Logo depois da CCXP, o proprietário e fenomenal amigo Leo, me procurou para eu fazer um calendário – com o meu traço – dos jogos que mais fazem sucesso entre os admiradores. 

Poxa, eu joguei videogame somente no começo dos anos 80 em um console chamado Intellivision e que tenho até hoje. Citei esse videogame que tinha em um post que você pode conferir no terceiro parágrafo pelo link: https://goo.gl/ciPn8t

Já liberei alguns pequenos pedaços dos trabalhos mas, infelizmente, o calendário não vai acontecer devido aos altos custos para se produzir todas as unidades que a loja queria. O mimo seria uma lembrança distribuída entre os clientes da loja. Para aproveitarmos as artes, decidimos fazer uns prints dos jogos desenhados no tamanho original dos desenhos que é 14 cm x 18cm. 
Red Dead Redemption 2, imagem retirada
do meu Instagram Luciano Salles
O mais legal também é que a World Game vai fazer um evento para distribuir as impressões (em uma data ainda a ser programada) e eu estarei o dia todo na loja autografando esse prints exclusivos, vendendo meus quadrinhos, alguns outros prints e conversando com o pessoal.

Em breve divulgo a data do evento para você de Araraquara e região (Matão, São Carlos, Ribeirão Preto, Tabatinga, Taquaritinga, Ibaté e outras) virem conhecer a World Game, conseguir um print – que serão limitadíssimos! – e se quiser, de quebra, posso autografar para dar aquela originalidade.

Fico por aqui!

Um abraço.

Luciano Salles.

19.1.19

Conheça o LINK POP, o novo programa de cultura "nerdgeekpop" e que tive a honra de participar

Olá. Tudo bem?

Eu sei que tenho andado sumido das atualizações do blog. Estou com um prazo de entrega apertado e não consegui parar (ainda) desde o final da CCXP mas finalmente entrego o trabalho em dois dias e volto a programação normal que será:

01. Acabar de escrever o roteiro de "Duplo, eu";
02. Começar a desenhar as páginas da HQ.

Falando em programação, tive a honra de participar de um quadro do programa LINK POP, da Record News. Minha participação acontece aos 7'50" mas deixo o convite para assistir todo programa.

Um abraço!

Luciano Salles.

10.1.19

Programa LINK POP na Record News: sobre quadrinhos, cinema, séries e cultura pop!

Programa Link Pop, apresentado por Daiana Bombarda
Olá, tudo bem?

Gravei uma entrada no programa LINK POP, da Record News, que você sintoniza no canal 9.1 virtual digital.

Finalmente um programa sobre cinema, séries, histórias em quadrinhos e cultura pop em geral, totalmente produzido aqui em Araraquara, interiorzão do estado de São Paulo.

Esse é o link para conhecer um pouco mais sobre o programa: http://r7.com/VG7G

Os horários de exibição são aos sábados, às 23h30, com reprise nos domingos às 9h30.

Minha participação vai ao ar já neste próximo sábado, dia 12/01/2019.

Assista ao programa, coloque na sua agenda e despertador para não esquecer, fortaleça a cena dos quadrinhos e da cultura pop no nosso interiorzão!

Ah, seu comentário é sempre muito bem vindo e será respondido 😉

Grande abraço!

Luciano Salles.

7.1.19

Férias da coluna do Daniel Furlan + presente de aniversário + calendário "geekgamernerd"

Wolverine para o projeto da World Game, empresa patrocinadora oficial
do meu trabalho como quadrinista e ilustrador.
Olá, tudo bem?

Em janeiro, a coluna do Daniel Furlan, que ilustro para a Folha de S.Paulo, entra em férias. Sim, coluna também entra em férias! Voltamos com tudo em fevereiro, mês do meu aniversário, e aceito de presente um Batman da série black and white.

Tá aí a dica! Ah, pode ser um do Rafael Albuquerque ou Mike Mignola. Bom, pedidos feitos, vamos ao que estou trabalhando desde o final da CCXP.

A World Game é uma das empresas que me apoiam para ir aos eventos de quadrinhos e o fenomenal Leo (responsável por tudo), teve a ideia de fazer um calendário com os jogos que são sucessos e unanimidade entre todos.

No começo dos trabalhos fiquei um pouco travado pois estava preocupado em focar bastante nos jogos e sendo sincero, só joguei videogame nos anos 80 em um console chamado Intellivision. Depois disso joguei muito pouco pois acabei caindo de cara – e com tudo – no mundo do skate, punk rock e fanzines.

Ligava para o Leo preocupado se poderia seguir com os desenhos por esse caminho ou por outro e ele, com aquele jeito único, me disse exatamente assim: "Dom, se eu chamei você para fazer os desenhos é porque quero aqueles desenhos doidera que você faz...".

Era o que eu precisava ouvir!

A partir do terceiro jogo que estava desenhando e após ouvir esse áudio que acabei de transcrever, meu traço veio a galope. Logo divulgo as artes por aqui e por enquanto somente esse pedacinho do Logan.

Grande abraço!

Luciano Salles.

3.1.19

Ilustrações de novembro e dezembro para o jornal a Folha de S.Paulo

Olá, tudo bem?

O ano começou. Para muitos, toda uma festa com esperanças renovadas. Para outros tantos, apenas um ciclo constante. O planeta não comemora o ano novo, os animais tão pouco. Nós é que precisamos de auto incentivos, novos empurrões, pular ondas e outras mandingas pois somos extremamente carentes de entendimento, discernimentos e programados para acreditar. Acreditamos pois somos seres sociais e para isso funcionar direitinho (novamente), precisamos acreditar em algo. Mesmos que seja acreditar em nada.

Esse primeiro parágrafo ficou razoavelmente carregado de ceticismo mas minha intenção não é deixar você depressivo ou depressiva. Acredito que seja o inverso disso. De qualquer forma, desejo que tenha uma boa sequência de dias ou mesmo, um excelente 2019.

Logo abaixo seguem as ilustrações que fiz para a coluna do Daniel Furlan, publicada pelo jornal Folha de S.Paulo no caderno de cultura Ilustrada.

Novembro
Ilustrações para o jornal Folha de S.Paulo
Dezembro
Ilustrações para o jornal Folha de S.Paulo
Um grande abraço!

Luciano Salles.